Sociedade Histórica celebra protocolo de amizade com a Comunidade Judaica do Porto » EntornoInteligente

Sociedade Histórica celebra protocolo de amizade com a Comunidade Judaica do Porto

sociedade_historica_celebra_protocolo_de_amizade_com_a_comunidade_judaica_do_porto.jpg

Entornointeligente.com / A Sociedade Histórica da Independência de Portugal e a Comunidade Judaica do Porto celebraram ontem um Protocolo de parceria, amizade e cooperação, com o objetivo de aprofundar o conhecimento da história de Portugal e de ambas as instituições. Passarão então a divulgar, junto dos respetivos membros, as atividades públicas uma da outra e colaborarão na sua difusão.

Enquanto a Sociedade Histórica prossegue fins de educação e cultura, cuidando da defesa da independência e da identidade de Portugal na sua universalidade, a Comunidade Judaica do Porto tem como fins, entre outros, a promoção da história e da cultura judaicas.

No protocolo, a Sociedade Histórica reconhece “a importância da participação das comunidades judaicas na formação e no desenvolvimento da Nação, desde os seus alvores no século XII” e evoca “o simbolismo da proximidade e amizade que se estabeleceu entre D. Afonso Henriques e D. Yahia Ben Yaish, figura de relevo dos primeiros anos de Portugal, que viria a ser o primeiro Rabi-Mor do país, exercendo altas funções de administração do Reino e participando em combates ao lado e ao serviço do seu Rei”.

Isabel Lopes, vice-presidente da direção da Comunidade Judaica do Porto, que assinou o protocolo juntamente com o Chefe-Rabino da cidade, Daniel Litvak, diz que “quando o rabbi D. Yahia Ben Yaish combateu ao lado de D. Afonso Henriques, ao serviço do qual terá morrido, por todo o território já se estendiam, desde longa data, comunidades judaicas”.

A historiadora e vice-presidente da direcção da Sociedade Histórica, Ana Leal de Faria, que assinou o protocolo juntamente com o presidente, o advogado e ex-político José Ribeiro e Castro, explica que “o primeiro encontro entre delegações está previsto realizar-se no Museu Judaico do Porto, no próximo mês de maio, num dia que pensamos ser de reencontro dos valores da portugalidade.”

O protocolo estabelece que se realizará rotativamente um encontro anual, no Palácio da Independência em Lisboa e no Museu Judaico do Porto, que, além de examinar o estado da cooperação bilateral, poderá realizar uma sessão para abordagem de um tema de relevo público e interesse comum.

A comunidade judaica em Portugal

Antes do Édito de Expulsão de D. Manuel no ano de 1496, a comunidade judaica mostrava-se muito relevante no país ao ponto de terem vivido na cidade o Rabi Isaac Aboab, a maior autoridade do mundo judaico da época, e o famoso astrónomo e historiador Abraham Zacuto.

Após largos séculos de afastamento dos judeus, o Porto voltou a ter uma comunidade judaica no final do século XIX, depois de algumas dezenas de judeus alemãos, russos e polacos se instalarem na cidade invicta.

A sua forma legal, deu-se em 1923 por acção do único português da comunidade, o militar de infantaria, capitão Barros Basto, avô de Isabel Lopes, a qual, antes da assinatura do protocolo, ofereceu à Sociedade Histórica um livro escrito por ele, em 1944, intitulado 'Dom Yahia Ben-Yahia', 'O 1.º Rabi-Mor de Portugal', que enaltece a amizade e a cooperação entre aquele Rabi e Dom Afonso Henriques.

Hoje a comunidade judaica do Porto reúne cerca de 500 judeus de trinta origens diferentes e o seu departamento cultural tutela o Museu do Holocausto e o Museu Judaico da cidade.

 

 

 

LINK ORIGINAL: iOnline

Entornointeligente.com

URGENTE: Conoce aquí los Juguetes más vendidos de Amazon

www.smart-reputation.com
Smart Reputation

Noticias de Boxeo

Boxeo Plus
Boxeo Plus
Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation
Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation

Adscoins

Smart Reputation

Smart Reputation