Sexo oral durante vinte minutos indigna Festival de Cinema de Cannes - Cultura - Correio da Manhã - EntornoInteligente
Entornointeligente.com /

Os rumores já andavam a circular. O realizador Abdellatif Kechiche ia entrar com tudo este ano no Festival de Cinema de Cannes. O que, provavelmente, ninguém esperava é que o franco-tunisino aparecesse com um filme no limite da pornografia. ‘Mektoub, My Love: Intermezzo’ conta com três horas e meia de exploração sexual gratuita, que tem o seu ponto alto uma cena explícita de sexo oral na casa de banho de uma discoteca com quase vinte minutos de duração. A cena é de tal forma subversiva e perturbadora que motivou a debandada do público durante a sua exibição, incluindo a da própria atriz, Ophélie Bau. Para além da polémica cena de sexo oral, o filme usa e abusa da exploração do corpo feminino, com, exatamente, 178 planos de rabos. “Tirando isso o filme deve ter para aí uns vinte minutos”, escreveu nas redes sociais um dos críticos de cinema que esteve na apresentação. “Tentei mostrar aquilo que me faz vibrar. A ideia deste filme era celebrar a vida, o amor, a música e o corpo”, explicou o realizador Abdellatif Kechiche que, ainda assim, não foi poupado pelas críticas. O ‘Los Angeles Times’ chamou-lhe “o desastre de Cannes’ enquanto o ‘El País’ questionou “que drogas anda Kechiche a tomar”. PORMENORES Primeiro filme saiu em 2017 ‘Mektoub My Love: Intermezzo’, que está na disputa pela Palma de Ouro em Cannes, é a segunda parte de ‘Mektoub My Love: Canto Uno’ que já tinha recebido várias vaias em 2017. Sempre controverso O homem no centro da polémica, Abdellatif Kechiche, é o realizador que já tinha assinado o filme ‘A Vida de Adèle’, sobre a sexualidade entre duas jovens. Acusado de abuso sexual Kechiche foi acusado, no passado, de abuso sexual por uma mulher de 29 anos. A investigação ainda está em curso. Continuar a ler
LINK ORIGINAL: Correio da manha

Entornointeligente.com

Nota de Prensa VIP

Smart Reputation

154416