Recorde algumas das edições mais emocionantes do GP do Mónaco - EntornoInteligente
Entornointeligente.com /

O que torna circuito de Monte Carlo tão emocionante e épico? Ao contrário de todas as outras provas do Mundial de Fórmula 1, esta é a que oferece menos velocidade e mais dificuldade aos pilotos. Da qualificação até ao final da corrida, qualquer pequeno erro numa chicane pode valer muito caro. Ao longo da história deste Grande Prémio citadino, já foram várias as peripécias e acontecimentos que deram lugar ao aparecimento de novas estrelas das pistas, decisões polémicas e vencedores improváveis. 

No domingo fará 90 anos que acontece uma corrida de alta competição no Mónaco, que começa a preparar as ruas da cidade para o fim-de-semana de Fórmula 1 mais de duas semanas antes.

Nesta que é a sexta corrida do C ampeoanato do Mundo, Lewis Hamilton e Valtteri Bottas , da Mercedes, estão à frente da classificação geral. Max Verstappen da Red Bull é terceiro, seguido por Sebastien Vettel e Charles Leclerc , da Ferrari. Esta edição ficará também marcada por homenagens a Niki Lauda , consagrado piloto austríaco, que faleceu na segunda-feira, aos 70 anos.

O 90.º aniversário do Grande Prémio do Mónaco acontece dias depois da morte de Niki Lauda. O austríaco venceu a corrida de Monte Carlo apenas duas vezes em dois anos consecutivos: 1975 (ano do primeiro de três títulos mundiais) e 1976. Ao volante da Ferrari, o austríaco partiu em primeiro em ambas as corridas. Nesta edição de 2019 será um nome homenageado e a recordar. DR 1982. Foi a primeira corrida após a morte de Gilles Villeneuve. A Ferrari optou por colocar apenas o carro de Didier Pironi em pista. Num Grande Prémio estranho a todos os níveis, a liderança alterou-se por diversas vezes, com vários condutores na liderança obrigados a desistir por problemas mecânicos ou acidentes. Apenas dez pilotos conseguiram cruzar a meta, com a vitória a ir para o italiano Riccardo Patrese. DR O Grande Prémio do Mónaco de 1984 será certamente uma das corridas mais marcantes e polémicas de sempre. Devido à chuva, os pilotos até solicitaram que o pavimento no interior do túnel (uma mais das célebres secções do circuito) fosse molhado para evitar o desgaste dos pneus, mas as condições meteorológicas da partida forçaram o fim da corrida após apenas 31 das 76 voltas. Para os registos fica Alain Prost como o vencedor, ao volante de um McLaren, depois de garantir a pole, impedindo a primeira vitória de Ayrton Senna. O brasileiro estava a cumprir a primeira temporada na F1, com a Toleman, e partiu nesta corrida no 13.º lugar. Prost pediu interrupção na volta 31, mas só soube que o GP tinha sido terminado na volta seguinte quando já tinha chegado ao primeiro lugar. A vitória caiu para o francês porque, segundo os regulamentos, foi na volta 31 quando todos os pilotos (apenas oito em 20) tinham feito todo o percurso até ter sido encerrada a corrida. Foi o primeiro pódio da carreira de Ayrton Senna. DR Nesta corrida, a paixão que caracterizava o brasileiro Ayrton Senna ficou, uma vez mais, vincada na mente dos que acompanham o desporto. Apesar de estar quase um minuto à frente do francês Alain Prost — e desobedecendo a ordens directas da equipa —, Senna continuou a puxar pelo carro. Uma manobra mal calculada a poucas voltas do fim fez com que o McLaren-Honda fosse embater na parede, num erro que daria a vitória ao colega de equipa. Action Images/Reuters 1992. Nigel Mansell foi rei e senhor desta corrida, mas acabou por não a vencer. Depois de liderar da primeira até à 71.ª volta. Um problema no pneu traseiro esquerdo obrigou o britânico a fazer uma paragem nas boxes, que acabou por ser demorada. A vantagem de 30 segundos para Senna não resistiu, com Mansell a sair das boxes sete segundos depois do brasileiro. Em menos de uma volta ao circuito, os sete segundos passaram para dois. Senna, com um carro menos potente que o Williams de Mansell, deu o máximo para conseguir segurar a liderança e celebrar vitória no circuito do Mónaco. DR A 19 de Maio de 1996, o Grande Prémio do Mónaco foi apenas terminado por três pilotos e a vitória caiu para um dos competidores mais improváveis: Olivier Panis – o último francês a vencer a prova (e a única da carreira) no Mónaco. Ao volante pela Ligier, Panis partiu do 14.º lugar numa grelha encabeçada por Michael Schumacher, Damon Hill e Jean Alesi, que foram um dos pilotos a sofrerem acidentes e avarias que originaram problemas na suspensão do monolugar. Entre outros choques e incidentes, a corrida terminou apenas com três condutores e a sorrir para Panis. DR A primeira e única vitória do italiano Jarno Trulli foi no Mónaco, em 2004. O italiano conseguiu a pole position num desempenho impressionante e, durante toda a prova, conseguiu manter a liderança da corrida e repelir os ataques de Jenson Button. Ao longo da carreira, Trulli conseguiria mais três pole positions, mas não voltaria ao lugar cimeiro do pódio. Action Images/Reuters 2006. Este Grande Prémio é mais relembrado pela qualificação do que pela corrida. Numa fase em que Michael Schumacher tinha o melhor tempo — e Alonso se preparava para “roubar” a pole position ao piloto alemão — o homem da Ferrari sofreu um estranho acidente na entrada para a última curva. O espanhol, obrigado a tirar o pé do acelerador, não conseguiu bater o tempo registado por Schumacher. O incidente foi investigado e, no final, o piloto da Ferrari perdeu o primeiro lugar, começando da parte de trás da grelha de partida. Action Images/Reuters Como foi a última corrida? O último GP do Mónaco, a 27 de Maio de 2018, foi um dia feliz para a Red Bull. Max Verstappen fez a melhor volta depois de partir em último e Daniel Ricciardo foi o vencedor a corrida mesmo com problemas de potência no carro (só conseguia usar seis das oito mudanças). Depois de ter garantido a pole position, o australiano liderou o Grande Prémio do início ao fim. Sebastien Vettel (Ferrari) e Lewis Hamilton (Mercedes) fecharam o pódio. Foi a segunda e última vitória de Ricciardo no campeonato de F1 do ano passado e a segunda pole position convertida em vitória. Fernando Alonso, ao volante da McLaren, desistiu perto do fim. O monegasco Charles Leclerc (Ferrari) ficou em antepenúltimo no ano passado, cumprindo apenas 70 voltas. As perspectivas este ano são melhores para o monesgasco, pois pontuou sempre. ,Como foi a última corrida? O último GP do Mónaco, a 27 de Maio de 2018, foi um dia feliz para a Red Bull. Max Verstappen fez a melhor volta depois de partir em último e Daniel Ricciardo foi o vencedor a corrida mesmo com problemas de potência no carro (só conseguia usar seis das oito mudanças). Depois de ter garantido a pole position, o australiano liderou o Grande Prémio do início ao fim. Sebastien Vettel (Ferrari) e Lewis Hamilton (Mercedes) fecharam o pódio. Foi a segunda e última vitória de Ricciardo no campeonato de F1 do ano passado e a segunda pole position convertida em vitória. Fernando Alonso, ao volante da McLaren, desistiu perto do fim. O monegasco Charles Leclerc (Ferrari) ficou em antepenúltimo no ano passado, cumprindo apenas 70 voltas. As perspectivas este ano são melhores para o monesgasco, pois pontuou sempre. Benoit Tissier/Reuters
LINK ORIGINAL: Publico

Entornointeligente.com

Advertisement

Nota de Prensa VIP

Smart Reputation