Portugueses criam biopolímeros feitos de algas para despoluir água - EntornoInteligente
Entornointeligente.com /

Uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro ( UA ) demonstrou que nanomateriais preparados a partir de biopolímeros extraídos de algas têm a capacidade de remover alguns poluentes da água.

Segundo a equipa de investigação, os biopolímeros extraídos de fontes naturais, como é o caso das algas abundantes no litoral nacional, podem ser “enormes aliados” na remoção de poluentes da água difíceis de eliminar nas estações de tratamento, como antibióticos e outros fármacos, herbicidas e ainda corantes orgânicos utilizados pela indústria.

“O segredo destes adsorventes está no seu pequeníssimo tamanho, inferior a 100 nanómetros, que possibilita uma elevada área de contacto com a água, combinado com os polissacarídeos presentes na sua composição e que são provenientes das algas”, descreve uma nota de imprensa da UA sobre o trabalho científico.

A equipa de investigadores do Departamento de Química da UA e do CICECO — Instituto de Materiais de Aveiro, uma das unidades de investigação da Academia de Aveiro, desenvolveu e patenteou nano-adsorventes magnéticos que, além dos polissacarídeos, são constituídos ainda por um miolo de óxido de ferro (magnetite) que lhes confere características magnéticas e por sílica, com o papel de ligar entre si os ingredientes e de tornar os materiais insolúveis na água.

Foto Os investigadores Ana Luísa Silva, Sofia Soares e Tito Trindade. DR O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público.

Subscrever × Entre os vários poluentes estudados, está o ciprofloxacina, antibiótico utilizado no tratamento de várias infecções, que pode ser encontrado nas águas residuais, devido à inadequada eliminação de medicamentos não usados ou à metabolização incompleta deste medicamento em humanos”.

Ler mais Uma “biblioteca” de invertebrados marinhos para estudar o que (ainda) não vem nos livros Algas comuns podem servir para poderosos antibióticos e ajudar no combate ao cancro Margarita fartou-se do plástico e criou embalagens a partir de algas Raquel estuda o impacto das alterações climáticas nas algas do Atlântico e venceu um prémio Os nano-adsorventes sintetizados apresentam uma eficácia de remoção entre 30 a 90 por cento desse antibiótico, sendo possível remover até 1350 miligramas de ciprofloxacina usando um grama de adsorvente”, explicam os investigadores.

Mais populares A carregar… Os adsorventes podem ser regenerados e reutilizados, o que representa uma vantagem económica acrescida e, de acordo com fonte académica, “algumas empresas já mostraram interesse e estão a testar estes materiais na remoção de diferentes contaminantes”.

Continuar a ler
LINK ORIGINAL: Publico

Entornointeligente.com

Advertisement

Nota de Prensa VIP

Smart Reputation