PORTUGAL: Música de Jonas e letra de Jiménez na vitória do Benfica - EntornoInteligente

Entornointeligente.com / Correio da manha / Não foi propriamente com um concerto de bom futebol que o Benfica ganhou este sábado por 2-0 ao V. Guimarães, ainda que a nota artística do segundo golo de Jonas, o que consolidou o triunfo e descansou os adeptos, tenha de ser alta. Mas feito o deve e o haver, não há contestação sobre a justiça do vencedor deste jogo, que permite à formação da Luz ascender à liderança da Liga, com a garantia de que assim será pelo menos até amanhã à noite, quando o FC Porto jogar no Restelo com o Belenenses. Este não foi um jogo fácil para o Benfica. Pelo menos tão fácil como o resultado aparenta. Houve momentos em que a equipa foi aborrecida, quase entediante. Mas também houve aquele momento musical aos 78’, quando Jiménez, que mais uma vez saltou do banco de suplentes, fez um cruzamento de letra (pé direito a passar por detrás da perna esquerda) em corrida que levou a bola de forma teleguiada até à cabeça de Jonas para o 2-0, numa fase em que o resultado ainda estava aberto. Voltemos atrás e à primeira parte, quando o jogo parecia estar num poço de ar, por culpa da inércia benfiquista. A equipa entrou com ganas mas deixou-se cair na tentação do relaxe. O tempo foi passando. Nas bancadas preenchidas do Estádio da Luz já se adivinhavam conjuras sobre que medidas deveria Rui Vitória adotar para dar uma sacudidela no marasmo exibicional. Não que a equipa estivesse a jogar mal. Mas bem é que não estava, de certeza. A partir de certo momento, no primeiro tempo, era até o V. Guimarães que parecia estar mais confortável no jogo. O penálti cometido por João Aurélio, quase à beira do intervalo, acabou por ser uma dádiva para o Benfica, pela forma como apareceu. Jonas, da marca dos onze metros, desbloqueou o caminho para a liderança. Na segunda parte, o Benfica reentrou bem mas tornou a cair ao ponto de se encolher. Voltou a esticar quando Jiménez entrou. E foi dos pés do mexicano que nasceu o tal momento mágico que resultou no segundo golo, por Jonas, o homem dos sete instrumentos que dá música às bancadas da Luz. ANÁLISE  Grande ambiente na Luz Após a pausa no campeonato, os adeptos do Benfica compareceram em grande número no Estádio da Luz, recriando o ambiente das grandes tardes de futebol. Um jogo de futebol assim, com casa cheia, tem outro brilho. Baixa rotação Houve momentos neste jogo em que a equipa do Benfica ‘empastelou’. Ao ponto de ouvir assobios da bancada, ainda que fosse do lado dos adeptos vimaranenses. Penálti é penálti Depois de ver a repetição da mão acidental de João Aurélio, o árbitro tinha de marcar penálti. Porque o defesa vimaranense tinha o braço levantado em zona proibida. Mas houve erros vários no trabalho do trio: faltas ao contrário e foras de jogo mal ajuizados. “Agora é pensar na final de Setúbal” Rui Vitória elogiou ontem o trabalho da sua equipa no triunfo sobre o V. Guimarães (2-0), mas já aponta à próxima jornada: “Fizemos o nosso trabalho e agora é pensar na próxima final frente ao V. Setúbal.” O treinador do Benfica, que também teceu elogios à postura do adversário, considerou o triunfo “justo” e conseguido com “muito trabalho”. “Sabíamos que ia ser um jogo difícil frente a um bom adversário. Fomos criando mossa e grande desgaste no adversário que acabou por resultar no segundo golo”, referiu Rui Vitória. Sobre o passe de letra de Jiménez, Vitória reconhece que a entrada do mexicano “agitou”, mas a melhoria da equipa deveu-se à criação de “novas dinâmicas”. PORTUGAL: Música de Jonas e letra de Jiménez na vitória do Benfica

Con Información de Correio da manha

www.entornointeligente.com

Síguenos en Twitter @entornoi

Entornointeligente.com

Add comment

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Follow Me

.