PORTUGAL: Banco suíço promoveu fraude fiscal ao guardar mais de 180 mil milhões - EntornoInteligente

Entornointeligente.com / Diario Noticias / O banco HSBC, através da sua filial em Genebra, Suíça, terá montado um esquema em que ajudava os clientes a e sconder dinheiro e a escapar aos impostos , revela uma investigação realizada por um consórcio internacional de jornalistas. Mais de 180 mil milhões de euros terão circulado neste circuito financeiro entre 2006 e 2007, que envolve 106 mil clientes de 203 países e 20 mil sociedades offshore. Durante este período, Portugal tinha um total de 856 milhões de euros, distribuídos por 611 clientes e 778 contas bancárias. Na lista por países, Portugal é 45.º com mais dinheiro envolvido neste esquema.

No topo da lista por países está a Suíça, com 27,3 mil milhões, seguido pelo Reino Unido com 19 mil milhões. A Venezuela é o terceiro com mais de 10,5 mil milhões no HSBC, numa época em que o petróleo era muito rentável para o governo do então presidente Hugo Chávez.

De acordo com as informações ontem divulgadas, a lista de clientes do HSBC integra diferentes figuras, desde desportistas como Fernando Alonso e Valentino Rossi, vedetas do mundo do espetáculo, casos de Elle MacPherson e o estilistas Valentino, cantores como David Bowie e Tina Turner até homens de negócios e membros da realeza, casos dos monarcas da Jordânia e de Marrocos . SwissLeaks, como é denominado, é a exposição pública da fraude que o braço suíço do banco inglês HSBC terá feito ao ajudar os seus clientes ricos a esquivarem-se aos impostos e a esconderem milhões de euros em ativos. O dinheiro era distribuído em pacotes não rastreáveis e o HSBC aconselhava os clientes sobre a forma de contornar as autoridades fiscais.

A investigação teve origem em Hervé Falciani, um funcionário italo-francês do HSBC, que já em 2008 tinha feito denúncias ao Governo francês . A investigação então lançada ficou conhecida como “Lagarde liste” – na altura Christine Lagarde, atual líder do FMI, era ministra das Finanças. Agora, com os dados de mais de 100 mil clientes, de 203 países, o jornal francês Le Monde e os restantes membros do ICIJ começaram ontem à noite a divulgar a investigação à lista de Falciani.

O HSBC, que é o segundo maior grupo bancário do mundo, a dmitiu irregularidades cometidas na sua filial suíça. “Nós reconhecemos e somos responsáveis pela vigilância no passado e pelas falhas de controle” , disse o banco numa mensagem escrita.

Con Información de Diario Noticias

Entornointeligente.com

Add comment

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Follow Me

.