Polícia prende cônsul alemão por morte de marido no Rio; homem tinha lesões no corpo e na cabeça

policia_prende_consul_alemao_por_morte_de_marido_no_rio_3B_homem_tinha_lesoes_no_corpo_e_na_cabeca.jpg
Entornointeligente.com /

fique por dentro

Eleições Jô Soares ‘Rensga Hits!’ Diesel mais barato Piso de enfermeiros Polícia prende cônsul alemão por morte de marido no Rio; homem tinha lesões no corpo e na cabeça Perícia técnica apontou que o apartamento de Walter Henri Maximillen Biot e Uwe Herbert Hahn foi limpo. Vítima também tinha marcas típicas de morte violenta. O caso foi registrado na 14ª DP (Leblon). Por Felipe Freire, Leslie Leitão e Nathalia Castro, TV Globo

06/08/2022 19h25 Atualizado 06/08/2022

Polícia prende cônsul alemão por morte de marido no Rio; homem tinha lesões no corpo e na cabeça

O cônsul Uwe Herbert Hahn , lotado no Consulado da Alemanha no Rio, foi preso no começo da noite deste sábado (6) pela morte de seu marido, o belga Walter Henri Maximilien Biot.

Inicialmente, Uwe havia dito que o companheiro havia sofrido um mal súbido, batido a cabeça e morrido na noite da sexta-feira (5).

O Samu foi chamado para socorrer Walter, mas o médico encontrou o belga já em parada cardiorrespiratória e com lesões no corpo — em especial, uma na cabeça e outra nas nádegas — a equipe não quis atestar a morte e o corpo foi encaminhado para o IML.

1 de 2 Identidade do belga Walter Henri Maximilien Biot — Foto: Reprodução Identidade do belga Walter Henri Maximilien Biot — Foto: Reprodução

Perícia mostrou marcas no corpo e apartamento limpo

O caso foi registrado na 14ª DP (Leblon). A perícia da Polícia Civil foi chamada, mas encontrou situações suspeitas no lugar.

A primeira delas é que o apartamento havia sido limpo por uma secretária do cônsul. Ela disse que providenciou a limpeza porque um cachorro estaria lambendo poças de sangue.

Os peritos também detectaram manchas de sangue em uma poltrona, que parecia ter sido recém-lavada.

Os investigadores devem usar luminol, substância que reage a manchas de sangue, em uma nova perícia.

2 de 2 Belga morava em Ipanema — Foto: Reprodução Belga morava em Ipanema — Foto: Reprodução

Suspeitas também no IML

O corpo do marido do cônsul também tinha múltiplas lesões em todo o corpo da vítima. O belga sofreu traumatismo craniano provocado por uma lesão na nuca. Além disso, ele também tinha machucados no rosto, peito, barriga, pernas e nádegas.

O casal estava junto há 23 anos, e morava há quatro anos no Rio. Na delegacia, o cônsul disse à polícia que o marido estava triste porque o casal estava de mudança para o Haiti.

O casal estava junto havia 20 anos, morava em uma cobertura em Ipanema e tinha passaporte diplomático. Walter faria 53 anos no próximo sábado.

LINK ORIGINAL: G1 Globo

Entornointeligente.com