Multivan no espírito das viagens

multivan_no_espirito_das_viagens.jpg
Entornointeligente.com /

A linhagem da Multivan deriva da «Pão de Forma» lançada há 72 anos, quando a primeira geração desta carrinha chegou ao mercado, em 1950, tornando-se emblemática nas décadas seguintes como símbolo de viagens em «paz e amor». A nova Multivan carrega esse peso histórico, mas diferencia-se por outro lado, por ser também a sucessora da Sharan.

Contrariamente aos antecessores deste modelo, a Multivan é claramente orientada para os particulares, pelo que adota a plataforma MQB que é utilizada por muitos automóveis do Grupo Volkswagen, providenciando assim uma base sólida e comprovada para albergar um modelo que estará disponível em versão híbrida Plug-in (PHEV), gasolina e Diesel (esta última numa fase posterior). A ideia de um modelo multifacetado é sublinhada pela capacidade redobrada em termos de conforto e solidez, mas que se junta a uma quantidade reforçada de tecnologias de infoentretenimento e de segurança. Para alcançar os seus objetivos, a Volkswagen contrariou algumas das noções vigentes e, ao invés de adaptar veículos estritamente comerciais para o transporte de passageiros, criou um modelo de raiz para as viagens em família ou entre amigos – assim se explica o recurso à MQB, que até permite duas versões de comprimento (embora com a mesma distância entre eixos).

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever A funcionalidade é sublinhada pela sua variedade de lotação: disponível com sete ou seis lugares (opcionalmente), todos os bancos são individuais, giratórios e movimentáveis sobre calhas, com os lugares posteriores a poderem ser removidos para levar mais carga a bordo. Os novos assentos individuais na segunda e terceira filas são até 25% mais leves. Apesar da amplitude interior, a Multivan não chega aos cinco metros de comprimento, ficando-se pelos 4973 mm, para 1941 mm de largura e 1903 mm de altura. A distância entre eixos cifra-se nos 3124 mm, o que quer dizer que o espaço é, realmente abundante. Permite uma multiplicidade de configurações e todos os ocupantes beneficiam de excelente habitabilidade, havendo também grande amplitude para bagagens, levando apreciáveis 469 litros de bagagem com os seus sete lugares funcionais. Quando carregado até à segunda fila, a volumetria sobe para 1850 litros, no caso de estar equipada com o tejadilho de vidro panorâmico de duas portas, que reforça a luminosidade. Por outro lado, as janelas das portas laterais traseiras (opcionalmente, podem abrir de forma elétrica) não abrem, o que é um ponto que poderia ser melhorado.

Eletrificação em foco Composta por uma gama completa, a nova Multivan tem como destaque a versão híbrida plug-in eHybrid, a qual pudemos ensaiar para averiguar as suas competências multifacetadas. Conta com um motor 1.4 TSI a gasolina de 136 CV e 250 Nm, associado à caixa automática DSG de dupla embraiagem de seis velocidades, havendo ainda um motor elétrico de 116 CV e 330 Nm de binário, para uma potência combinada de 218 CV e binário conjunto de 350 Nm. A bateria de iões de lítio de 13 kWh (capacidade útil de 10.4 kWh) está alojada sob o piso, com uma autonomia elétrica equivalente a 50 km (WLTP). A localização da bateria economiza espaço e, simultaneamente, baixa o centro de gravidade, o que melhora o seu comportamento dinâmico, que se traduz num equilíbrio muito agradável, com uma postura segura e muito confiante, sempre naturalmente mais orientado para o conforto e longas tiradas em família.

A Multivan eHybrid é surpreendentemente poupada para as suas dimensões, arrancando em modo elétrico sempre que possível e fazendo uma gestão otimizada da carga da bateria e do motor elétrico para permitir consumos reduzidos. Embora seja complicado obter a média anunciada de 1,8-2,1 l/100 km em ciclo misto e em utilização combinada elétrico/térmico, é possível registar um valor tão baixo como 3,2 l/100 km num percurso de 100 km começando com a bateria carregada. Para baixos consumos, é fundamental manter a periodicidade do carregamento nas tomadas. Sem carregamento externo, o sistema consegue, ainda assim, fazer uma gestão muito eficiente, subindo para 5,5 l/100 km em utilização meramente híbrida. A bateria pode ser totalmente recarregada em cinco horas a partir da rede doméstica (2.3 kW AC) ou em três horas e 40 minutos numa «wallbox» doméstica (AC).

Também ao nível da tecnologia, a nova Multivan dá um grande passo em frente: o condutor pode contar, de série, com a instrumentação «Digital Cockpit» e o sistema de informação «Ready 2 Discover» com ecrã tátil de 10″, estando sempre integrado com serviços online «We Connect» e «We Connect Plus». Outros elementos possíveis de integrar na Multivan são os faróis LED Matrix ou as as portas laterais elétricas, estes itens entre os opcionais.

Verdadeiramente hábil na sua funcionalidade, multifacetada e tecnicamente avançada, a versão de entrada com a motorização híbrida Plug-in tem um custo de entrada de 55.253€ para a versão Life.

[email protected]

LINK ORIGINAL: Diario Noticias

Entornointeligente.com