Moradores de Alcântara preocupados com "complexos gigantescos" na zona ribeirinha - EntornoInteligente
Entornointeligente.com /

Os moradores na freguesia de Alcântara, em Lisboa, manifestaram preocupação nesta quinta-feira relativamente a alguns “complexos gigantescos” de edifícios já instalados ou previstos para a zona ribeirinha, pedindo mais envolvimento nos processos urbanísticos.

Mais populares Acesso ao ensino superior 2019 Engenharia Aeroespacial: Gonçalo entrou com a média mais alta no curso que já lançou Leonardo para a NASA Justiça E-Toupeira : Tribunal da Relação de Lisboa não leva SAD do Benfica a julgamento i-album Exposição Prince: a vida inacabada do princípe do funk Falando numa reunião descentralizada da Câmara de Lisboa, Mara Castilho, da associação Vizinhos de Alcântara , referiu um novo “complexo enorme”, que se localizará em frente ao Lx Factory e que albergará comércio e um banco.

Na sessão, dedicada a ouvir os munícipes das freguesias de Alcântara, Ajuda e Belém, Mara Castilho destacou também outros edifícios, como o do novo hospital da CUF, que “está a afectar o Miradouro das Necessidades”, e o novo edifício da EDP, que se vai localizar atrás da sede, e prejudicará as vistas do Miradouro de Santa Catarina .

“Nós não estamos aqui a dizer que não queremos desenvolvimento. Mas há que aumentar o desenvolvimento e manter o antigo. Nós não podemos destruir isto “, disse Mara Castilho. “Porque não fazer complexos que não sejam tão grandes , que não sejam tão altos?”, questionou ainda.

A moradora defendeu também que os projectos devem ser abertos aos munícipes , pedindo à autarquia um maior envolvimento da população.

Câmara vai reunir-se com junta, moradores e peticionários por causa do Adamastor Em resposta, o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina (PS), sugeriu a realização de um encontro, no qual ” os departamentos da autarquia podem explicar as opções que foram tomadas “.

O chefe do executivo municipal referiu também que “este processo todo de Alcântara” já se iniciou há muito tempo, sendo “uma área que teve para o seu desenvolvimento inúmeras propostas”.

Por seu turno, o vice-presidente da autarquia, João Paulo Saraiva (independente, eleito pelo PS), vincou que todos os processos referidos tiveram “um percurso de consulta pública e de decisões nos órgãos municipais, alguns deles, nomeadamente o Plano Pormenor de Alcântara, com um grande consenso nos órgãos municipais”.

O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público.

Subscrever × Já o presidente da Junta de Freguesia de Alcântara, Davide Amado (PS), lembrou que o plano prevê um centro de dia naquela zona, manifestando preocupação com o facto de a câmara ainda não ter prestado informações acerca do local para a instalação do equipamento. “É algo que nos preocupa porque estamos a meio do mandato”, sublinhou Davide Amado.

Ler mais Ex-combatentes com “via verde” no novo Hospital Militar de Belém Câmara quer tirar autocarros de turistas das portas dos Jerónimos antes do Verão Câmara promete “diálogo” com moradores sobre novo Museu Judaico, em Alfama Na sessão, Fernando Medina anunciou ainda que já há um acordo com o Ministério da Defesa relativamente à cedência à Câmara de Lisboa e à Santa Casa da Misericórdia do edifício do antigo Hospital Militar, na freguesia da Ajuda.

Segundo o autarca, o antigo hospital vai ser transformado “numa unidade de cuidados continuados na parte do hospital e num centro de utilização e de fruição pela população na zona do antigo convento”.

Continuar a ler
LINK ORIGINAL: Publico

Entornointeligente.com

Advertisement

Nota de Prensa VIP

Smart Reputation

150201