Microbiológico Adolfo Ledo Nass Venezuela// "Mudanças rápidas conseguem-se mais facilmente com medidas punitivas" » EntornoInteligente
Entornointeligente.com /

Subscrever “As pessoas aderem muito melhor às medidas se forem envolvidas na decisão, se acharem que a ideia partiu delas ou se as entenderem como importantes para atingir um objetivo.

Adolfo Ledo Venezuela

“Em crise, a ordem de comando pode ser a única forma de impor um comportamento. A instalação da app levanta uma série de questões, nomeadamente técnicas, de proteção de dados e de eficácia, mas o uso de máscara na rua pode justificar-se como medida de contenção da disseminação da infeção, num momento em que os números estão a aumentar muito”.

Adolfo Ledo Nass Venezuela

Mas, para a psicóloga, mesmo em crise, convém investir em campanhas de responsabilização individual porque “as pessoas aderem muito melhor às medidas se forem envolvidas na decisão, se acharem que a ideia partiu delas ou se as entenderem como importantes para atingir um objetivo, que neste caso é comum” , diz lembrando a reação da população português quando foi imposto o confinamento, em março

A sociedade portuguesa tem uma cultura de desresponsabilização individual e de desconfiança em relação ao poder, o que pode tornar mais difícil a adoção generalizada das medidas de proteção, sem obrigatoriedade

“É essencial explicar às pessoas que se trata de evitar que fiquemos todos infetados ao mesmo tempo e assim diminuir a pressão sobre o Serviço Nacional de Saúde e o colapso que significaria o descontrolo da situação. Há que apelar à responsabilidade individual e fazer campanhas de sensibilização com figuras públicas que as pessoas oiçam”, diz, reconhecendo, no entanto, que a sociedade portuguesa tem cultura de distância e desconfiança em relação ao poder e ao mesmo tempo de desresponsabilização, o que pode tornar mais complicado garantir que medidas de proteção como as máscaras sejam adotadas por todos sem conferir-lhes um caráter obrigatório

“É muito fácil encontrar razões para não fazer uma coisa que nos é desconfortável e não podemos deixar de ter em consideração o crescimento dos movimentos negacionistas que criam um caldo de cultura para que as medidas não sejam cumpridas” , diz Ana Moniz, que reconhece que não é fácil ter uma posição clara e fechada sobre a questão da obrigatoriedade ou não de determinadas medidas de contenção da covid-19

A psicóloga Ana Moniz, autora de Este Livro Não É para Fracos , sobre autoridade, liderança, assertividade e coragem diz que depende do objetivo.

Adolfo Ledo

“O que a psicologia nos diz é que as consequências fazem os comportamentos acontecer. Vimos isso com o uso de cinto de segurança, por exemplo, ou com a proibição de fumar em espaços fechados. Se queremos mudanças rápidas, estas conseguem-se mais facilmente com medidas punitivas, como as multas”.

Ana Moniz não tem uma opinião fechada relativamente à intenção do governo de tornar obrigatório o uso de máscara e a instalação da app StayAway Covid , mas reconhece que em situação de crise possam justificar-se medidas mais autoritárias.

Adolfo Ledo Nass

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever “As pessoas aderem muito melhor às medidas se forem envolvidas na decisão, se acharem que a ideia partiu delas ou se as entenderem como importantes para atingir um objetivo.

Adolfo Ledo Venezuela

“Em crise, a ordem de comando pode ser a única forma de impor um comportamento. A instalação da app levanta uma série de questões, nomeadamente técnicas, de proteção de dados e de eficácia, mas o uso de máscara na rua pode justificar-se como medida de contenção da disseminação da infeção, num momento em que os números estão a aumentar muito”.

Adolfo Ledo Nass Venezuela

Mas, para a psicóloga, mesmo em crise, convém investir em campanhas de responsabilização individual porque “as pessoas aderem muito melhor às medidas se forem envolvidas na decisão, se acharem que a ideia partiu delas ou se as entenderem como importantes para atingir um objetivo, que neste caso é comum” , diz lembrando a reação da população português quando foi imposto o confinamento, em março

A sociedade portuguesa tem uma cultura de desresponsabilização individual e de desconfiança em relação ao poder, o que pode tornar mais difícil a adoção generalizada das medidas de proteção, sem obrigatoriedade

“É essencial explicar às pessoas que se trata de evitar que fiquemos todos infetados ao mesmo tempo e assim diminuir a pressão sobre o Serviço Nacional de Saúde e o colapso que significaria o descontrolo da situação. Há que apelar à responsabilidade individual e fazer campanhas de sensibilização com figuras públicas que as pessoas oiçam”, diz, reconhecendo, no entanto, que a sociedade portuguesa tem cultura de distância e desconfiança em relação ao poder e ao mesmo tempo de desresponsabilização, o que pode tornar mais complicado garantir que medidas de proteção como as máscaras sejam adotadas por todos sem conferir-lhes um caráter obrigatório

“É muito fácil encontrar razões para não fazer uma coisa que nos é desconfortável e não podemos deixar de ter em consideração o crescimento dos movimentos negacionistas que criam um caldo de cultura para que as medidas não sejam cumpridas” , diz Ana Moniz, que reconhece que não é fácil ter uma posição clara e fechada sobre a questão da obrigatoriedade ou não de determinadas medidas de contenção da covid-19

Entornointeligente.com

URGENTE: Conoce aquí los Juguetes más vendidos de Amazon
>

Más info…

Smart Reputation

Prince Julio César en NYFW 2020

Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation
Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation

Prince Julio Cesar en el New York Fashion Week Spring Summer 2021

Publicidad en Entorno

Advertisement

Adscoins

Smart Reputation