Médicos alertam para "catástrofe" na saúde e pedem "verdadeira retoma" do SNS » EntornoInteligente

Médicos alertam para “catástrofe” na saúde e pedem “verdadeira retoma” do SNS

medicos_alertam_para_catastrofe_na_saude_e_pedem_verdadeira_retoma_do_sns.jpg

Entornointeligente.com / “O SIM exorta o Governo a que dê os passos que dele se espera, programando uma verdadeira retoma da atividade habitual nos serviços de saúde do SNS”, refere o sindicato liderado pelo médico Jorge Roque da Cunha numa carta enviada hoje à ministra da Saúde, Marta Temido.

Segundo a estrutura sindical, esta retoma da atividade atrasada no SNS deve passar por “dois instrumentos principais à disposição” do Governo, caso da contratação de mais profissionais de saúde e da determinação de trabalho suplementar.

“O Ministério da Saúde, ao invés de ter adotado uma ação continuada de contratação de mais profissionais de saúde, que já eram escassos antes de eclodir a pandemia, tem optado por afetar, em levas sucessivas, aqueles trabalhadores, de entre os quais os médicos, para cumprirem períodos de trabalho alargados no desenvolvimento de tarefas que os retiram do atendimento e acompanhamento aos seus doentes”, refere a carta que a Lusa teve acesso.

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Segundo o SIM, esta opção tem inviabilizado a deteção de “inúmeras e graves patologias no tempo certo”, registando-se ainda “adiamentos perigosíssimos na realização de atos médicos e diagnósticos, mais ou menos complexos, mas em que a oportunidade é a chave inultrapassável para um bom prognóstico”.

De acordo com a mesma carta, a falta de profissionais de saúde verifica-se na emergência pré-hospitalar, nos hospitais e nos estabelecimentos que prestam cuidados de saúde primários.

Esta situação, segundo o sindicato, agravou-se com a pandemia da covid-19, uma vez que os profissionais que trabalham nos centros de saúde têm sido dirigidos para as áreas dedicadas aos doentes respiratórios e para a campanha nacional de vacinação que decorre desde o final de 2020.

“Os nossos doentes não são acolhidos, não são despistados, nem são tratados. O somatório dos diferentes segmentos desta realidade prognostica um retrocesso nunca antes visto”, alertou o SIM, que salientou que os “médicos portugueses, desde o início da pandemia, tem posto o seu melhor no tratamento dos milhares de doentes em cuidados intensivos e nas dezenas de milhar internadas nos hospitais”, entre outras funções.

A 18 de março, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde afirmou que entraram em 2020 para o Serviço Nacional de Saúde mais de 1.100 médicos e que, em janeiro, iniciaram a sua formação outros cerca de 3.900 clínicos.

Segundo o secretário de Estado, através dos dois concursos de primeira e segunda épocas realizados em 2020, entraram para o Serviço Nacional de Saúde (SNS) 426 médicos especialistas em medicina geral e familiar, 29 médicos de saúde pública e 700 médicos da área hospitalar, num total de 1.155 clínicos.

“Para além disso, em janeiro entraram para a formação geral 2.032 médicos e iniciaram a sua formação específica 1.867 médicos, o maior número desde 2009”, avançou Lacerda Sales, ao adiantar que, desde 2015, o SNS foi reforçado com mais 24 mil profissionais, entre os quais mais 4.000 médicos.

LINK ORIGINAL: Diario Noticias

Entornointeligente.com

URGENTE: Conoce aquí los Juguetes más vendidos de Amazon www.smart-reputation.com

Cafecito Informativo

Smart Reputation

Noticias de Boxeo

Boxeo Plus
Boxeo Plus
Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation
Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation

Adscoins

Smart Reputation

Smart Reputation