Maradona, 60 anos: Flamengo, Palmeiras e Santos quase fizeram o argentino jogar no Brasil » EntornoInteligente
Entornointeligente.com /

No final da década de 1990, o São Paulo tentou a contratação de Maradona. Segundo a ‘Folha de São Paulo’, o Tricolor Paulista tentou se aproveitar da época onde ainda vigorava a lei do passe e os jogadores ficavam presos aos clubes ou aos donos de seus passes

Campeão mundial e maior ídolo do futebol argentino, Diego Armando Maradona completa 60 anos hoje. Craque do Boca Juniors e do Napoli, por pouco ‘El Pibe de Oro’ não escreveu sua história também nos gramados brasileiros. Na década de 1990, quando o camisa 10 já havia levado o país vizinho ao título da Copa do Mundo de 1986, Flamengo, Palmeiras, Santos e São Paulo tentaram trazê-lo — sendo que o alvinegro praiano chegou a ter a ajuda de Pelé.

Veja também: Pelé no Botafogo, no Grêmio e até no Real Madrid: histórias do Rei que não aconteceram por um triz

A história mais conhecida aconteceu em 1991, quando um possível retorno do craque ao continente para jogar no Flamengo tomou o noticiário. À época, a revista “Placar” fez reportagem afirmando que o rubro-negro ofereceu um projeto para comprar os direitos do argentino junto ao Napoli e ajudá-lo a reestruturar sua trajetória. Ele enfrentava o sobrepeso e vivia na mira das agências antidoping.

 

O Flamengo era o atual campeão da Copa do Brasil, mas tinha pouco dinheiro em caixa. Ao fim de 1990, perdeu duas peças fundamentais no elenco: o atacante Renato Gaúcho e o lateral Leonardo. O grande nome era Júnior, de 36 anos, e a chegada de Maradona era vista como possível.

Porém, por questões financeiras, a negociação com Maradona não avançou. Posteriormente, o craque argentino foi pego no antidoping e suspenso por 15 meses, mas isso não diminuiu o interesse de outros clubes brasileiros. 

Maradona no Santos Foto: Reprodução O Santos foi outro que se aproximou de Maradona, muito em função de Pelé, que ofereceu uma parceria para tentar contratá-lo. Segundo o “Estado de São Paulo”, a ideia inicial era tentar Raí, que estava no Paris Saint-Germain, mas ele não aceitou. Então, Maradona virou opção, já que cumpria suspensão por doping na Copa do Mundo de 1994.

PUBLICIDADE Pelé queria levá-lo para sua empresa, a ‘Pelé Sports & Marketing’, que seria a detentora do passe do argentino e o negociaria com o Santos. O Rei ficaria responsável por pagar os salários de Maradona durante dois anos.

As conversas aconteceram, mas a negociação não avançou, pois ele queria receber mais do que o acordado. Ele acabou voltando ao Boca Juniors, onde se aposentou, em 1997. 

Maradona no Palmeiras Foto: Reprodução Palmeiras com Parmalat e São Paulo tentaram Após a suspensão de um ano e meio sofrida por Maradona, o Palmeiras apareceu como possível destino para o craque. Impulsionado financeiramente pela Parmalat, patrocinadora master do clube na época, diretor de esportes da empresa na América do Sul, José Carlos Brunoro, chegou a viajar para a Itália para negociar com o Napoli, segundo a ‘ESPN’.

As conversas chegaram a ser bem sucedidas e uma proposta de 5 milhões de dólares foi enviada. Porém, Maradona não se interessou a deixar a Europa naquele momento. Posteriormente, acertou com o Sevilla, da Espanha.

No final da década de 1990, o São Paulo tentou a contratação de Maradona. Segundo a ‘Folha de São Paulo’, o Tricolor Paulista tentou se aproveitar da época onde ainda vigorava a lei do passe e os jogadores ficavam presos aos clubes ou aos donos de seus passes.

Na época, a empresa de Pelé ficaria com o passe de Maradona e chegou a abir negociação com o São Paulo, mas não houve sucesso nas conversas. Hoje, Maradona treina o Gimnasia y Esgrima.

Entornointeligente.com

URGENTE: Conoce aquí los Juguetes más vendidos de Amazon >

Más info…

Smart Reputation

Prince Julio César en NYFW 2020

Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation
Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation

Prince Julio Cesar en el New York Fashion Week Spring Summer 2021

Publicidad en Entorno

Advertisement

Adscoins

Smart Reputation