Leilão 5G. Tribunal dá razão a ANO mas regulador ignora decisão » EntornoInteligente

Leilão 5G. Tribunal dá razão a ANO mas regulador ignora decisão

leilao_5g_tribunal_da_razao_a_ano_mas_regulador_ignora_decisao.jpg

Entornointeligente.com / A ANO – Sistemas de Informática e Serviços foi excluída do concurso lançado pela Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) para implementar a plataforma tecnológica para leilão do espetro de rede 5G em Portugal, mas recorreu ao Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto, que lhe deu razão em dezembro de 2020. Na sentença a que o i teve acesso, o relator ordena a readmissão a concurso do concorrente preterido pelo regulador: “Termos em que se julga procedente o pedido de anulação do ato de exclusão da proposta apresentada pela autora no procedimento de concurso público para disponibilização e operacionalização de uma plataforma eletrónica de leilão, de suporte ao procedimento de atribuição de faixas de frequências”. 

A decisão do tribunal foi conhecida em dezembro do ano passado, mas ainda assim, não foi suficiente para a entidade liderada por João Cadete de Matos readmitir a ANO a concurso. Só cerca de dois meses depois é que o regulador lançou o leilão do 5G, com a plataforma atribuída à Ubiwhere.

Uma decisão que já tinha sido alvo de fortes críticas por parte das operadoras. Em causa, tal como o i já tinha avançado, poderia estar em causa a violação do contrato assinado com o regulador. Além disso, e como a sentença aponta, a solução escolhida não garante soluções de redundância.

Recorde-se que o contrato tem o valor de 119,8 mil euros e foi adjudicado à Ubiwhere por concurso público, em que participaram três outras empresas: a alemã Specure, o pólo português da OMIP e a ANO – Sistemas de Informática e Serviços. Acusações essas que levaram a empresa a rejeitar que estivesse em posição de violar o contrato assinado com a entidade liderada por Cadete de Matos. Na altura, garantiu que trabalhava “todos os dias para manter um comportamento inatacável a todos os níveis e para honrar escrupulosamente os contratos e obrigações por si assumidas, sendo estes os requisitos que continuará a cumprir na íntegra, inexistindo qualquer fundamento para a problemática que está agora a ser levantada”.

Leilão já ultrapassou 50 dias As propostas do leilão 5G ascenderam na terça-feira os 268,9 milhões de euros, no 54.º dia de licitação principal, num total de “seis rondas”, de acordo com a Anacom. Este valor corresponde a um aumento de mais de um milhão de euros face à véspera (267,8 milhões) e, caso terminasse agora, o Estado teria um encaixe de mais de 353 milhões de euros, muito acima do valor indicativo, que era de 237,9 milhões de euros.

A faixa 3,6 GHz, com 40 lotes, é a única que tem registado ofertas desde 5 de março, enquanto há faixas que continuam sem ter licitação.  

Recorde-se que a licitação principal inclui os operadores Altice Portugal (Meo), Nos, Vodafone Portugal e também a Dense Air, e visa a atribuição de direitos de utilização de frequências nas faixas dos 700 MHz, 900 MHz, 2,1 GHz, 2,6 GHz e 3,6 GHz, depois de uma primeira fase exclusiva para novos entrantes.

LINK ORIGINAL: iOnline

Entornointeligente.com

URGENTE: Conoce aquí los Juguetes más vendidos de Amazon

www.smart-reputation.com
Smart Reputation

Noticias de Boxeo

Boxeo Plus
Boxeo Plus
Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation
Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation

Adscoins

Smart Reputation

Smart Reputation