Governador reage a pedido da PGR e diz que hospitais de campanhas foram fechados por falta de pacientes » EntornoInteligente

Governador reage a pedido da PGR e diz que hospitais de campanhas foram fechados por falta de pacientes

governador_reage_a_pedido_da_pgr_e_diz_que_hospitais_de_campanhas_foram_fechados_por_falta_de_pacientes.jpg

Entornointeligente.com / BRASÍLIA – O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), coordenador da área de vacinas do Fórum Nacional de Governadores, reagiu a um pedido de informações feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) para que os governos estaduais expliquem por que fecharam hospitais de campanha no ano passado após a primeira onda da pandemia de Covid-19.

—  A grande pergunta é por que fechamos hospitais de campanha, estados e municípios. Porque não tinha pacientes. Graças a Deus, ali num ado num momento, fizemos dois movimentos em meio a uma pandemia: dobrar ou triplicar a rede permanente pública de hospitais, ou em parcerias com o setor privado, e já não precisavam mais hospitais provisórios, como eram hospitais de campanha. Se não tinha pacientes, qual era o sentido de ficar três, quatro, cinco, seis meses pagando por cada leito de hospital de campanha se já não tinha necessidade? —  disse o governador em vídeo divulgado por sua assessoria de imprensa.

CPI : Senador ignora acordo e vai se candidatar a presiden te

Depois, acrescentou:

— Infelizmente lá na frente mesmo com essa rede ampliada que fizemos, com a suspensão de cirurgias eletivas, tivemos uma situação em que de novo colapsou a rede em todo o Brasil. Por quê? Por fala de cama? Por falta de equipamentos? Não, por falta de profissionais. É esse o problema ainda hoje.

Em nota, o governador também afirmou que boa parte do dinheiro aplicado nos hospitais de campanha veio dos cofres estaduais e que foram prestadas contas com toda a transparência aos órgãos de controle. E apontou a responsabilidade do governo federal.

“O colapso se deu pela falta de profissionais em praticamente todos os Estados brasileiros, levado pela velocidade de transmissibilidade das novas variantes e pela ausência da coordenação central, do governo federal,  que foi avisado e não ajudou na contenção”, diz trecho da nota.

Entenda: Como vai funcionar a CPI da Pandemia no Senado

As informações pedidas pela PGR foram solicitadas pela subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo , aliada do procurador-geral Augusto Aras. Isso corrobora o discurso do presidente Jair Bolsonaro e abre mais um flanco de ataque aos governadores, no momento da instalação da CPI da Pandemia no Senado.

PUBLICIDADE Lindôra, que é considerada bolsonarista e uma das principais vozes conservadoras dentro do Ministério Público Federal (MPF), expediu ofício a todos os governadores “requisitando dados complementares sobre a situação dos hospitais de campanha previstos, construídos e desativados nos Estados”. A PGR já havia pedido informações aos governadores no mês passado, mas considerou que eram necessários mais esclarecimentos.

Alguns governadores já conversaram entre si sobre o assunto, e podem inclusive fazer uma manifestação conjunta para rebater a subprocuradora. Na avaliação de um deles, ela age politicamente, desviando o foco do governo federal, num momento que a CPI da Pandemia está sendo instalada no Senado.

LINK ORIGINAL: OGlobo

Entornointeligente.com

URGENTE: Conoce aquí los Juguetes más vendidos de Amazon www.smart-reputation.com

Smart Reputation

Noticias de Boxeo

Boxeo Plus
Boxeo Plus
Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation
Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation

Adscoins

Smart Reputation

Smart Reputation