Google, Facebook e Amazon se unem a Trump contra 'taxa digital' da França - EntornoInteligente
Entornointeligente.com /

WASHINGTON – A relação entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e as grandes empresas de tecnologia do país sempre foi fria, mas agora um adversário em comum pode juntar os dois lados, ao menos temporariamente: o plano da França de taxar as gigantes tech americanas.

Google, Facebook e Amazon depuseram em Washington nesta segunda-feira em favor dos esforços do governo Trump para tentar punir a França por exigir uma taxa de 3% sobre empresas internacionais de tecnologia com receita global de pelo menos € 750 milhões (US$ 832 milhões) e vendas digitais de € 25 milhões no território francês.

Leia mais: França aprova imposto sobre empresas de tecnologia. EUA abrem investigação

A taxa digital da França “viola regras tributárias estabelecidas há tempos e só mira um setor de negócios”, criticou Nicholas Bramble, conselheiro de política comercial do Google, em audiência no Gabinete do Representante de Comércio dos EUA. “Autoridades do governo francês enfatizaram repetidamente que a taxa é direcionada a empresas estrangeiras de tecnologia”.

Washington está investigando a medida francesa, assinada no mês passado pelo presidente Emmanuel Macron, que pode ser um precedente para novas tarifas e restrições. O representante do Comércio dos EUA, Robert Lighthizer,  pode tomar providências sobre o assunto até dia 26 de agosto, quando se encerra um prazo para comentários sobre a ação.

No Brasil : Comissão que vai analisar reforma tributária quer discutir impostos sobre aplicativos de internet

PUBLICIDADE Uma potencial represália americana contra a França aproxima as empresas e Trump (que já acusou Google e Facebook de estarem ao lado da “esquerda radical democrata” e disse que a Amazon evita pagar impostos). Ambos os lados estão preocupados com governos estrangeiros que querem usar companhias americanas como um  meio de obter receita com mais impostos.

Segundo o diretor de políticas e tributos da Amazon, Peter Hilz, mesmo com a empresa de Jeff Bezos aumentando sua margem de lucro, a taxa francesa poderia afetá-lo. Se outro país, como a Espanha, buscasse uma tarifa similar à da França, o tributo se acumularia. Se um consumidor francês comprasse um produto de um revendedor espanhol, exemplificou, a transação seria tarifada pelos dois países.

Veja: Trump diz que BC americano deveria cortar juros em 1 ponto percentual

Os EUA querem usar a França como um exemplo para deter ações semelhantes de outros países. Reino Unido, Nova Zelândia, Espanha e Itália ponderam suas próprias taxas digitais, o que imporia várias taxações sobre o mesmo lucro, dizem autoridades de Washington.

Trump ameaçou taxar os vinhos franceses e outros produtos em resposta ao imposto digital. Disse estar considerando uma tarifa de 100% sobre os vinhos durante um discurso num evento beneficente na semana passada, embora não tenha ficado claro se falava a sério.

PUBLICIDADE E ainda: Moeda virtual do Facebook será discutida por Estados Unidos e Suíça

Também na semana passada, Trump tuitou que “em breve anunciaremos uma ação recíproca significativa contra a tolice de Macron”. Ele poderia usar a chamada investigação 301, que envolve práticas comerciais injustas, a mesma usada para taxar a China devido a suposto roubo de propriedade intelectual.

Washington diz que países considerando suas próprias taxas digitais deveriam se concentrar em negociações globais com 130 nações sobre como cobrar impostos de empresas de tecnologia. Qualquer pacto futuro deve criar um novo conjunto de regras estabelecendo que países teriam direito de taxar as companhias, quais lucros seriam tributáveis, e como resolver disputas. Um acordo pode ser alcançado em 2020.

A oposição às intenções francesas é um dos raros temas em que os democratas e repblicanos concordam no Congresso americano. Numa carta enviada ao secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, em junho, dois senadores, um de cada partido, disseram que os EUA devem se valer de “todos os meios disponíveis na lei americana” para contrapor esssa “taxação discriminatória e direcionada”. Ambos sugeriram usar uma seção do código tributário para dobrar os impostos que afetam cidadãos e empresas franceses em território americano.

PUBLICIDADE
LINK ORIGINAL: OGlobo

Entornointeligente.com

Advertisement

Nota de Prensa VIP

Smart Reputation

160221