Covid-19. A primeira geração de vacinas poderá tornar-se ineficaz dentro de um ano » EntornoInteligente

Covid-19. A primeira geração de vacinas poderá tornar-se ineficaz dentro de um ano

covid_19_a_primeira_geracao_de_vacinas_podera_tornar_se_ineficaz_dentro_de_um_ano.jpg

Entornointeligente.com / As vacinas contra a covid-19 que agora estão a ser administradas em todo o mundo podem não ser eficazes dentro de um ano ou até menos, sendo necessárias novas fórmulas para combater as variantes do SARS-CoV-2 que vão surgindo. Esta é a previsão feita por dois terços dos cientistas entrevistados pela People”s Vaccine Alliance, avança o The Guardian.

No inquérito sobre o impacto das novas variantes na eficácia da primeira geração de vacinas contra a covid-19, participaram 77 cientistas – epidemiologistas, virologistas e outros especialistas em doenças infecciosas -, de 28 países.

Dos entrevistados pela People’s Vaccine Alliance – coligação que inclui a Amnistia Internacional, a UNAIDS (Programa das Nações Unidas para o HIV) e a ONG de luta contra a pobreza Oxfam -, 88% considera que as reduzidas taxas de vacinação em muitos países podem fazer com que seja mais provável o aparecimento de mutações resistentes à vacina.

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Aliás, os cientistas têm apelado para que haja um esforço mundial de vacinação, de modo a que o combate à covid-19 seja mais eficaz perante a ameaça de novas variantes do vírus, algumas das quais mais transmissíveis, letais e mais resistentes às vacinas.

Mas o que se tem verificado é uma corrida desigual pelas vacinas, com os países mais ricos a ir na frente. Já os países mais pobres registam um processo de vacinação mais lento, abrindo espaço para a disseminação do vírus, à sua mutação, originando assim novas variantes.

Dois terços dos inquiridos – especialistas de diversas instituições de referência como Yale, Johns Hopkins e Imperial College -, prevê que as vacinas que agora estão a ser usadas em todo o mundo vão tornar-se ineficazes dentro de um ano, mas quase um terço dos entrevistados acredita que este prazo será inferior a nove meses.

“O vírus não respeita fronteiras e as novas variantes em qualquer lugar do planeta significam que nenhum de nós está seguro” “A menos que vacinemos o mundo, deixamos o campo aberto para mais mutações, que podem produzir variantes que podem escapar às nossas vacinas atuais e exigir doses de reforço para lidar com elas “, destaca Gregg Gonsalves, professor de epidemiologia na Universidade de Yale, em comunicado.

Este especialista lembra que “todos os dias surgem novas mutações do vírus” e que, “às vezes encontram um nicho que as torna mais adequadas do que as suas antecessoras”. “Estas variantes podem transmitir-se de forma mais eficiente e potencialmente escapar às respostas imunológicas das variantes anteriores”, refere Gregg Gonsalves.

“O vírus não respeita fronteiras e as novas variantes em qualquer lugar do planeta significam que nenhum de nós está seguro”, enfatiza o especialista.

Max Lawson, diretor da política de desigualdade da Oxfam e presidente da People”s Vaccine Alliance afirma que “a urgência que vemos nas nações ricas para vacinar as suas populações, querendo atingir toda a população adulta até ao verão, não é refletido a nível global”. “Em vez disso, temos a Covax a apontar para talvez 27% no final do ano, se conseguirmos possivelmente administrar isso – simplesmente não chega”, avisa em declarações ao The Guardian.

Ao ritmo atual da vacinação, é provável que apenas 10% das pessoas na maioria dos países pobres sejam vacinadas no próximo ano, estimou a People’s Vaccine Alliance.

LINK ORIGINAL: Diario Noticias

Entornointeligente.com

URGENTE: Conoce aquí los Juguetes más vendidos de Amazon

www.smart-reputation.com
Smart Reputation

Noticias de Boxeo

Boxeo Plus
Boxeo Plus
Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation
Repara tu reputación en Twitter con Smart Reputation

Adscoins

Smart Reputation

Smart Reputation