Costa sobre Sócrates: "No PS as pessoas não conheciam os factos que têm vindo a público" - EntornoInteligente
Entornointeligente.com /

O primeiro-ministro, António Costa, recusou fazer um “julgamento popular do engenheiro Sócrates”, e sublinhou a “presunção de inocência”, mas garantiu que nunca teve “qualquer suspeita” em relação a José Sócrates, nem enquanto foi seu ministro, nem depois. Costa foi entrevistado no Jornal da Noite na TVI esta quinta-feira. Antes de fazer um balanço sobre a legislatura, o líder socialista respondeu às perguntas da “situação muito traumática” que foi o caso Sócrates.

Mais populares Uma cornada, a fractura e o abate: o Xeque-Mate das touradas – Megafone de Nuno Alvim YouTube Aos 12 anos, Hammad dá palestras motivacionais no Paquistão i-album Arquitectura Alcácer do Sal: uma “casa do Monopólio” em ponto grande “Tenho a certeza de que no PS as pessoas não conheciam os factos que têm vindo a público”, afirmou António Costa, antes de ele próprio garantir que não tinha tido qualquer suspeita sobre o antigo líder socialista. “Nos dois anos que fui ministro do engenheiro José Sócrates nunca tive nenhum sinal que me levantasse a menor suspeita sobre o seu comportamento. Nem depois disso tive qualquer suspeita até ao momento em que começou a haver as notícias sobre essas matérias”, garantiu o primeiro-ministro.

António Costa reconheceu que “o Partido Socialista sofreu, de facto, uma situação muito traumática, que espero que nunca nenhum partido venha a sofrer: ver acusações gravíssimas sobre um líder seu, que era muito apreciado no partido, por quem muitos de nós tínhamos relações de amizade.” “Eu tinha”, acrescentou.

O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público.

Subscrever × Para o primeiro-ministro, o PS “teve uma grande maturidade” na gestão da situação. “Nunca fizemos o que aconteceu em outros tempos, com outras maiorias”, apontou, acusando outros de “asfixiarem” suspeitas de corrupção “até à prescrição de ene casos”.

Ler mais “Finalmente começou a reflexão no PS”, diz Ana Gomes Costa afirma-se “surpreendido” com desfiliação de Sócrates Costa afirma que o PS não tem práticas estalinistas de eliminação de fotografias Sócrates acusa Passos de “acto desprezível” que o deixa “perto da miséria moral” O líder dos socialistas quis deixar claro que não tolera “de forma alguma qualquer forma de corrupção”. “Acho que é degradante para a democracia e tem de ser exterminada”, vincou.

António Costa comprometeu-se ainda a, em caso de suspeita de “uma situação de corrupção no PS ou fora dele”, fazer o que tem a fazer e “reportar o caso às autoridades”. “Não consigo conviver com quem tenha praticado actos de corrupção.”

Continuar a ler
LINK ORIGINAL: Publico

Entornointeligente.com

Advertisement

Nota de Prensa VIP

Smart Reputation