CDS desafia PS a apresentar contas que sustentam o seu programa - EntornoInteligente
Entornointeligente.com /

O CDS-PP desafiou este domingo o PS a apresentar as contas do seu programa eleitoral, e considerou que “a última coisa de que o país precisa é de uma revisão constitucional feita à esquerda” que aumente o peso do Estado.

Mais populares i-album Incêndios florestais Várias aldeias cercadas pelo fogo em Mação, Vila de Rei e Sertã Atletismo Nuno Pereira ganha a medalha de ouro no Europeu sub-20 i-album Living Offices Este escritório fica por cima da loja que o decorou Em declarações aos jornalistas, nos jardins da Assembleia da República, em Lisboa, o coordenador do programa eleitoral do CDS-PP, Adolfo Mesquita Nunes, acusou o PS de “não apresentar contas” no seu programa para as legislativas, aprovado este sábado, em Convenção Nacional.

“O Partido Socialista não apresenta nenhum impacto financeiro das suas medidas,  não é possível nem é maduro discutir programas eleitorais sem apresentar contas”, considerou. Segundo as contas do CDS-PP, acrescentou, “todas as promessas que o PS apresenta não cabem no cenário macroeconómico do Governo e que foi validado por Bruxelas no Programa de Estabilidade”.

“Ou seja, o PS está a usar um cenário macroeconómico que é diferente do cenário macroeconómico do Governo, um governo do Partido Socialista. O desafio que fazemos é que o PS possa rapidamente apresentar as suas contas para que os partidos possam discutir em plano de igualdade as suas propostas”, apelou. Adolfo Mesquita Nunes recordou que o programa eleitoral do CDS-PP defende que 60% do excedente orçamental do país “tem de ser para a redução do IRS”.

“O excedente que utilizámos no nosso programa é o do Programa de Estabilidade. Se o PS quer anunciar que teremos um excedente maior, pois 60% desse excedente será, do nosso ponto de vista, para reduzir o IRS”, afirmou.

Questionado como vê o CDS uma revisão constitucional na próxima legislatura, quando as sondagens apontam para a possibilidade de os partidos à esquerda somarem os dois terços necessários para a sua alteração, o antigo vice-presidente do CDS deixou um alerta.

O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público.

Subscrever × “A última coisa de que o país precisa é de uma revisão constitucional dominada pela esquerda, em que o sector privado desaparece e o Estado toma conta de tudo”, afirmou.

Sobre o motivo concreto invocado este sábado por António Costa para desencadear essa revisão — fazer uma abordagem integral nos tribunais para combater a violência doméstica -, Mesquita Nunes diz que “a seu tempo” o partido apresentará as suas propostas nesta matéria.

” Há vários assuntos que podem determinar uma mudança da Constituição , desde logo a alteração nos modelos da regulação bancária, como o CDS já tem proposto. Mas a última coisa de que o país que pais precisa é de uma revisão constitucional feita à esquerda para acabar com o sector privado ou torná-lo meramente residual”, insistiu.

Continuar a ler
LINK ORIGINAL: Publico

Entornointeligente.com

Advertisement

Nota de Prensa VIP

Smart Reputation