Casa de luxo de empresário Manuel Martins considerado barracão para as Finanças - Portugal - Correio da Manhã - EntornoInteligente

Entornointeligente.com / Entre os vários esquemas fraudulentos de Manuel Martins, inclui-se a moradia de luxo do empresário e da família. Uma casa de 600 mil euros mas que está registada por 12500 euros. Uma fraude ao Estado, com a conivência de uma ex-funcionária da autoridade tributária. O Investigação CM conta-lhe como este casal transformou uma casa de luxo num palheiro. Ver vídeo Casa de luxo de empresário Manuel Martins considerado barracão para as Finanças Manuel Martins fazia uma vida de luxo: ostentava riqueza em todos os seus passos, não se poupava a gastos, nem a adjetivos para se autopromover. Em Paços de Ferreira, de onde é natural e vivia, todos o conhecem como rei da faturas falsas que deu o salto com a reconversão da WoodOne. Conseguiu levar à empresa gente de peso, tais como Paulo portas e Passos Coelho, que lhe abriram muitas portas no mundo dos negócios. A exportação de móveis para países árabes e africanos eram a grande aposta e o governo do PSD servia de cartão de visita, mas os negócios ruíram em poucos meses. Ainda assim, o “Rolls-Royce” dos móveis manteve o estatuto de intocável. Conseguiu ganhar tempo e vender os diversos imóveis que tinha no Algarve e em Vila Nova de Gaia. Ficou com o dinheiro que deveria ter servido para pagar as dividas de mais de 13 milhões de euros a fornecedores da empresa. A insolvência foi declarada em agosto de 2017, mas durante um ano ainda conseguiu desviar património recorrendo a testas de ferro – um antigo funcionário que era da sua confiança e um casal: um empresário e uma jurista da Câmara de Paredes que enquanto funcionária da Autoridade tributária conseguiu aceder ao sistema das finanças para permitir pôr a salvo a moradia de luxo da família em Paços de Ferreira e que escapou a ser arrestada para pagar as dívidas.   Manuel Martins e a mulher, Ana Paula, mudaram-se com a filha para uma apartamento de luxo em Vila Nova de Gaia. Fazem uma vida discreta e na vizinhança ninguém sabia que partilhava o elevador com o “Rolls-Royce” dos móveis, até à ultima quarta-feira, quando a PJ do Porto fez buscas domiciliárias ao casal que em tribunal viu ser-lhe decretada a insolvência pessoal com dívidas superiores a seis milhões de euros. Continuar a ler
LINK ORIGINAL: Correio da manha

Entornointeligente.com

Advertisement

Nota de Prensa VIP

Smart Reputation