BRASIL: Retrospectiva 2014: a Copa do Mundo dos 7 a 1 - EntornoInteligente

Entornointeligente.com / Jornal do Brasil / Após 64 anos da disputa da primeira Copa do Mundo no país, nem tudo foi problema durante a realização daquela que a imprensa especializada chamou de “A Copa das Copas”. Jogos emocionantes, muitos gols, poucas expulsões, disputas de pênaltis. Todos os ingredientes para uma competição memorável fizeram parte da Copa do Mundo realizada no Brasil.

Durante a primeira fase do torneio, o recorde de gols já foi quebrado. Ao todo foram 45 gols em 16 jogos, o que dá uma média de 2,8 gols por jogo.

Mas o que ficou realmente marcado foi a melancólica goleada sofrida pelo Brasil. A Alemanha passeou em campo na semifinal e impôs históricos 7 a 1 no Brasil. Atordoada, a seleção disputou o terceiro lugar com a Holanda, e foi novamente derrotada.

Alemanha faz 7 a 1 no Brasil Disputa pelas vagas 

As eliminatórias para a Copa do Mundo no Brasil começaram no ano de 2011, mas a emoção da disputa pelas vagas só apareceu mesmo às vésperas do Mundial.

Nomes tradicionais como Argentina, Alemanha, Holanda, e a até então atual campeã mundial Espanha não tiveram maiores dificuldades e garantiram suas vagas com antecedência. Porém alguns outros medalhões sofreram para conquistar um lugar no principal torneio do mundo da bola. Foi o caso dos campeões mundiais Uruguai e França, e dos ascendentes México e Portugal, que conta com Cristiano Ronaldo, o melhor jogador do planeta. Essas potências precisaram da repescagem para confirmar presença no Mundial.

Por ser o país sede dos jogos, o Brasil já tinha vaga garantida e não participou da disputa das eliminatórias sul americana.

Craques cortados 

Muitos nomes de peso não puderam participar do torneio, o principal deles foi o francês Frank Ribéry, terceiro colocado da disputa pela Bola de Ouro 2013 (Prêmio dado ao melhor jogador do mundo na temporada).

Outros nomes merecem destaque, como o alemão Marc Reus, eleito o melhor jogador do campeonato alemão, e Radamel Falcão Garcia, até então o maior craque da Colômbia.

Veja lista dos principais nomes:

Alemanha: Ilkay Gundogan, Marc Reus, Badstuber, Schmelzer. Colômbia: Edwin Valencia, Falcão Garcia. Espanha: Victor Valdés, Arbeloa, Jesus Navas, Thiago Alcântara (Brasileiro naturalizado). França: Frank Ribéry. Holanda: Rafael Van der Vaart, Gregory Van der Wiel. Inglaterra: Theo Walcott. Itália: Giusepp Rossi, Montolivo.

Ao todo, foram 53 jogadores cortados por lesões.

Emoção no Hino Nacional 

Um dos momentos mais marcantes da Copa do Mundo foi a execução do Hino Nacional brasileiro. Desde a abertura na Arena Corinthians, o Hino, que por protocolo da Fifa é tocado apenas metade, ganhou uma emoção a mais, ao ser executado por 50 mil vozes, na integra, à capela, e emocionou o mundo, inclusive os jogadores que deixaram as lágrimas rolarem, levados pela emoção.

A imagem se repetiu em todos os sete jogos da seleção canarinho no Mundial. Inclusive na disputa de terceiro e quarto lugar, contra a Holanda, após a histórica goleada de 7 a 1 sofrida contra a Alemanha.

Surpresas e decepções 

A Copa 2014 foi a responsável por fazer o resto do mundo olhar mais atentamente para países de menor expressão no mundo da bola, como o caso das emergentes Bélgica, Colômbia e Chile. Além da grande zebra deste mundial, a Costa Rica.

Considerados a grande zebra do “grupo da morte”, que contava com os gigantes Uruguai, Itália e Inglaterra, os costa-riquenhos não se intimidaram e garantiram a classificação para a segunda fase do torneio, e na liderança do grupo.  A Costa Rica terminou a sua participação na competição de maneira invicta, fazendo história. Nas quartas de final, após um empate por 0 a 0, foram eliminados nos pênaltis pela Holanda.

A missão dos Diabos Vermelhos, como é conhecida a seleção Belga, foi mais simples. Em um grupo considerado mais fraco, com Argélia, Rússia e Coréia do Sul, os belgas garantiram a liderança e avançaram as oitavas de final com três vitórias em três jogos. Nas oitavas, travou uma batalha emocionante com a seleção dos Estados Unidos, e venceu. A participação dos belgas no Mundial acabou nas quartas de final, eliminados pela vice-campeã Argentina.

Já os sul americanos Chile e Colômbia foram eliminados pelo Brasil. O primeiro em um jogo emocionante e sofrido com direito a bola na trave no último minuto. O jogo só foi decidido nos pênaltis. A Colômbia, que teve o grande jogador da competição, James Rodrigues, foi eliminada pelos anfitriões nas quartas de final, com uma derrota por 2 a 1.

As decepções ficaram por conta dos gigantes: Itália, Inglaterra e a até então campeã mundial Espanha. Os três foram eliminados ainda na primeira fase do torneio.

Lesão de Neymar 

Durante a partida das quartas de final entre Brasil e Colômbia, um lance no meio do campo chamou a atenção do mundo e deu um susto em todos os brasileiros. A bola viajava pelo alto e o nosso camisa 10, Neymar, se posicionava para fazer um domínio tranquilo, quando o volante Zuniga atingiu o atacante brasileiro com uma joelhada nas costas. Neymar imediatamente caiu no gramado aos prantos com uma expressão de muita dor.

Após o término da partida veio o resultado do lance, Neymar havia fraturado duas vértebras da coluna, e não reunia mais condições físicas de continuar disputando a competição pelo país anfitrião.

Com a lesão de seu principal jogador, a seleção canarinho não conseguiu avançar mais uma fase e acabou eliminada de maneira histórica e vexatória para a Alemanha, que dias depois se sagraria a grande campeã do torneio.

7 a 1 

Após perder seu principal jogador, a seleção brasileira chegou para a disputa da semifinal sem a sua referência e pelo que pudemos ver, sem o seu futebol também. Aos 20 minutos do primeiro tempo, a partida já estava 3 a 0 para os germânicos, que foram para o intervalo com uma vantagem de cinco gols.

Sem poder contar com Neymar, a equipe também não pode escalar o seu capitão, Thiago Silva, pois o mesmo foi expulso na partida anterior contra os colombianos, o Brasil entrou perdido em campo, a zaga não se entendeu, e o meio de campo não fez a função de levar a bola para os atacantes, que passaram despercebidos durante toda a partida.

Resultado final: 7 a 1 para os alemães que avançaram para a grande final do torneio, e de quebra imprimiram a pior derrota da história da seleção canarinho em uma Copa do Mundo.

Melhor jogador e revelação da Copa 

Ao final da competição foram revelados os vencedores do prêmio de melhor jogador e revelação da Copa do Mundo 2014, e o resultado causou polêmica. O argentino Lionel Messi foi eleito o melhor jogador do torneio, o que não agradou a maioria da crítica especializada. A escolha provavelmente se deve ao fato de “La Pulga”, como é conhecido o argentino, ter liderado a seleção da Argentina até a final do torneio, onde foram derrotados pelos alemães pelo placar mínimo.

Já o jogador revelação foi o que, para muitos, deveria ter sido eleito o melhor do torneio. O colombiano James Rodrigues foi o grande nome da ótima campanha da seleção da Colômbia, que acabou sendo eliminada pelo Brasil, nas quartas de final. Após a eliminação dos colombianos, James Rodrigues foi ovacionado pelos brasileiros. O jovem jogador, que depois do Mundial assinou um contrato para usar a camisa 10 do milionário Real Madrid, foi o autor de dois, dos três gols considerados os mais bonitos da Copa.

A grande campeã no campo e no coração dos torcedores 

Considerados historicamente um povo frio e distante, os alemães surpreenderam o mundo inteiro. A seleção alemã desembarcou na distante Santa Cruz Cabrália, na Bahia, onde construíram um complexo com hotel e campo de futebol para ficarem concentrados e treinando.

Visitaram tribos indígenas, vestiram a camisa dos clubes locais como o Bahia e Vitória, tiravam fotos, e até aprenderam algumas palavras em português. O grande destaque de simpatia ficou por conta do atacante Lukas Podolski, que passou a postar em suas redes sociais textos em português, hábito esse que mantém até hoje.

Dentro das quatro linhas, nenhum comentário a ser feito aos germânicos. Com um futebol de encher os olhos, lembrando o ‘tick-tacka’ que consagrou os espanhóis quatro anos antes, a seleção alemã foi impecável e extremamente competente, venceu seis, dos sete jogos que disputou, empatando apenas com a forte seleção de Gana.

Destaque para a semifinal, onde disputou a vaga para a grande final do torneio contra a seleção anfitriã, em um estádio do Mineirão tomado por brasileiros. Mesmo a forte presença dos torcedores não foi capaz de assustador os frios alemães, que impôs à Seleção Brasileira, a pior derrota de sua vitoriosa história nas Copas do Mundo. Sem nenhuma pena, os germânicos venceram o Brasil pelo assombroso placar de 7 a 1, e avançaram para a final com ainda mais confiança.

Na grande final do Mundial, a Alemanha enfrentou a Argentina, e contou com a torcida da grande maioria dos brasileiros, devido à rivalidade histórica do país anfitrião com os “hermanos”.  Resultado final, 1 a 0 para a Alemanha, com gol do jovem Mario Götze no segundo tempo da prorrogação.

Com a vitória, a Alemanha conquistou seu quarto título e se igualou aos italianos, com um título atrás da ainda mais vitoriosa seleção do mundo, a brasileira.

Que venha a Copa do Mundo Rússia 2018.

Con Información de Jornal do Brasil

Entornointeligente.com

Follow Me

.