BRASIL: Empresa fatura R$ 2 milhões por ano vendendo grampos industriais - EntornoInteligente

Entornointeligente.com / G1 Globo / A máquina que faz grampos industriais é uma oportunidade para o pequeno empresário que quer montar um negócio ou pretende agregar valor à empresa. O equipamento produz grampos descartáveis para papel, estofados e madeira, e pode garantir bons lucros.

Uma empresa de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, produz máquinas industriais de grampos. O equipamento é uma grande prensa, de mais de uma tonelada, que o empresário Francisco Albuquerque compra usada e recupera. Ele só produz a ferramenta que dobra e corta os grampos e que é adaptada sobre a prensa.

O grampo é feito com uma fita de fios de arames bem finos, amassados e colados. A fita é colocada na máquina, que vai cortando e dobrando o arame, e transforma o material em “pentes”, cada um com 200 grampos.

Todo dia tem orçamento de máquina de grampo. Isso está me fazendo acreditar que eu posso partir para uma nova planta, fazer ela crescer pelo menos três vezes mais” Francisco Albuquerque Francisco Albuquerque trabalhou sete anos numa fábrica de grampos, onde conheceu o mecanismo das máquinas. Depois de perder o emprego, o ex- gerente industrial decidiu produzir o próprio equipamento. Mas ele tinha apenas R$ 4 mil no bolso, e teve que se virar.

“Eu conhecia todos os fabricantes de grampo que tem no Brasil. Eu percebi que tinham poucos, e era um mercado. Inclusive, poucas pessoas tinham essa máquina, e os que tinham, importaram. No Brasil não tinha ninguém fabricando e achei a veia certa”, conta o empresário.

Com o tempo, Albuquerque ganhou dinheiro e desenvolveu três modelos de máquinas. Elas funcionam com um compressor de ar, e fazem grampos finos e grossos. Os equipamentos produzem 120 pentes por minuto, e custam a partir de R$ 51 mil.

“É muito fácil de operar. Quando eu vendo a máquina, eu dou um treinamento para o dono e para um funcionário. Em dois dias eles trabalham sozinhos”, garante.

A fábrica de máquinas de grampos trabalha em ritmo acelerado. No último ano, a empresa de Francisco Albuquerque cresceu 30%, e faturou R$ 1,8 milhões.

“Eu tenho hoje mais de 150 orçamentos de máquinas de grampo, até por causa da economia que dá essas osciladas, está prendendo um pouco, mas qualquer coisa que melhorar a economia, que dá uma afirmada aí, a coisa vai estourar. Todo dia tem orçamento de máquina de grampo. Isso está me fazendo acreditar que eu posso partir para uma nova planta, fazer ela crescer pelo menos três vezes mais.”

100 milhões de grampos

O empresário Luís Corte comprou três máquinas da fábrica de Francisco Albuquerque. Com os equipamentos, Luís produz 100 milhões de grampos por mês.

“A produtividade dela é fora de série, muito boa, diferente das máquinas que nós tínhamos antigamente, que eram máquinas monofio, que davam baixa produtividade. Com essas prensas, conseguimos uma produtividade bem melhor”, diz.

Na fábrica de Luís Corte, o barulho das máquinas de grampo não para. Elas trabalham o dia inteiro. O empresário vende os grampos e também os grampeadores, para indústrias e consumidores finais.

E é o grampo mais comum, para papel de escritório. Porque, o que nem todo mundo sabe, é que existe grampo e grampeador para quase tudo, como estofado, carpete, madeira, grampos pequenos, compridos, estreitos. Dependendo do caso, o grampeador chega a ter um metro de altura e o acionamento é feito com o pé – como o que é usado em caixas de papelão.

O negócio de grampos exige volume e o milheiro custa centavos. É preciso vender muito grampo para ganhar dinheiro.  A vantagem é que é um produto descartável, ninguém reaproveita grampo. O que significa que as pessoas estão sempre comprando – e o empresário Luís Corte, sempre vendendo.

“Nós temos também uma rede de revendedores, que são empresas, por exemplo, que vendem artigo para tapeceiro. Eles vendem tecidos e vendem grampos também. Fora isso, tem uma quantidade grande de clientes que vêm diretamente na nossa loja obter os grampos”, conta o empresário.

A produção de grampos representa 70% do faturamento anual da empresa, que gira em torno de R$ 2 milhões. “Dificilmente hoje, em outro segmento, você consegue um lucro superior a isso, a 10%, 15%, então, realmente, eu que estou particularmente nesse ramo há 24 anos, estou contente, estou satisfeito.”

CONTATOS:

FIXUEL MÁQUINAS INDUSTRIA E COMÉRCIO LTDA

Contato: Empresário Francisco Albuquerque e André Albuquerque

Rua Cravinhos, 352 – Baeta Neves

São Bernardo do Campo/SP – CEP: 09751-410

Telefone: (11) 4337-7554/ 98641-1684

Site: www.fixuelmaquinas.com.br

E-mail: [email protected]

METALVISION

Contato: Empresário José Luiz Corte

Rua Epicuro, 76 – Casa Verde

São Paulo/SP – CEP: 02552-030

Telefone: (11) 3961-3807/ 3966-1475

Site: www.metalvision.ind.br

E-mail: [email protected]

Entornointeligente.com

Follow Me

.