Metro escuda-se na abrangência do júri para se defender de críticas à nova ponte no Douro

metro_escuda_se_na_abrangencia_do_juri_para_se_defender_de_criticas_a_nova_ponte_no_douro.jpg

Entornointeligente.com / O presidente da Metro do Porto, Tiago Braga, defendeu-se das críticas das faculdades de Ciências e de Arquitectura da Universidade do Porto ao projecto da futura ponte sobre o Douro, que interfere com a zona onde aquelas escolas estão implantadas, escudando-se na abrangência do júri que integra representantes de múltiplas instituições “da comunidade”.

A escolha das três propostas que vão discutir a fase final do concurso para a nova ponte que servirá a segunda linha entre Porto e Gaia não foi feita “dentro de portas”, disse, notando que o júri do concurso de ideias inclui elementos indicados pela Ordem dos Arquitectos, Ordem dos Engenheiros, as duas câmaras municipais, a Direcção Regional de Cultura do Norte, para além do Metro do Porto. Tiago Braga, que falava aos jornalistas à margem de uma visita às obras de expansão da Linha Amarela, em Gaia, não quis, contudo, comentar o teor das críticas tornadas públicas na véspera.

Uma semana depois de terem sido conhecidos os três projectos finalistas para a nova ponte para o metro que irá ligar Santo Ovídio, em Vila Nova de Gaia, à Casa da Música, no Porto, soube-se que “as Faculdades de Arquitectura [FAUP], Ciências, Letras e Nutrição, localizadas no Pólo do Campo Alegre da Universidade Porto, contestam a actual proposta de traçado, cota e perfil da ponte e acessos da nova travessia do Metro sobre o Rio Douro . Em causa estão questões de defesa da paisagem, salvaguarda patrimonial, impedimento do projecto de expansão da Faculdade de Arquitectura, segurança do acesso nascente da Faculdade e agravamento das dificuldades de ligação entre os vários espaços e edifícios do Pólo Universitário do Campo Alegre”, explicavam as instituições num comunicado publicado na página da FAUP .

Unidade da paisagem vai ser interrompida “Com o conhecimento das propostas apresentadas a concurso e a Decisão de Selecção [do júri] confirmaram-se as expectativas mais negativas. As determinantes impostas no concurso traduziram-se em propostas gravosas e penalizadoras para a paisagem e contexto urbano, dado o traçado, cota e perfil que impõem à nova ponte”, adiantou aquela faculdade, numa nota partilhada na sua página da Internet. Na avaliação das propostas pesou muito a relação da futura travessia com a vizinha ponte da Arrábida, obra de Edgar Cardoso que é património nacional, mas, na perspectiva desta faculdade, não foi devidamente acautelada a inserção urbana a norte, numa zona com vários equipamentos e edifícios desenhados por Siza Vieira e também eles em vias de classificação.

Proposta primeira classificada, da Edgar Cardoso Laboratório de Estruturas, com a Arenas & Asociados e a NO Arquitectos Proposta primeira classificada, da Edgar Cardoso Laboratório de Estruturas, com a Arenas & Asociados e a NO Arquitectos Proposta primeira classificada, da Edgar Cardoso Laboratório de Estruturas, com a Arenas & Asociados e a NO Arquitectos Proposta primeira classificada, da Edgar Cardoso Laboratório de Estruturas, com a Arenas & Asociados e a NO Arquitectos Proposta primeira classificada, da Edgar Cardoso Laboratório de Estruturas, com a Arenas & Asociados e a NO Arquitectos Proposta primeira classificada, da Edgar Cardoso Laboratório de Estruturas, com a Arenas & Asociados e a NO Arquitectos Proposta primeira classificada, da Edgar Cardoso Laboratório de Estruturas, com a Arenas & Asociados e a NO Arquitectos Proposta primeira classificada, da Edgar Cardoso Laboratório de Estruturas, com a Arenas & Asociados e a NO Arquitectos Proposta Segunda classificada, da Coba, com a Pondio Enginieros e a Architecture et Ouvrage d’Art Proposta Segunda classificada, da Coba, com a Pondio Enginieros e a Architecture et Ouvrage d’Art Proposta Segunda classificada, da Coba, com a Pondio Enginieros e a Architecture et Ouvrage d’Art Proposta Segunda classificada, da Coba, com a Pondio Enginieros e a Architecture et Ouvrage d’Art Proposta Segunda classificada, da Coba, com a Pondio Enginieros e a Architecture et Ouvrage d’Art Proposta Segunda classificada, da Coba, com a Pondio Enginieros e a Architecture et Ouvrage d’Art Proposta Segunda classificada, da Coba, com a Pondio Enginieros e a Architecture et Ouvrage d’Art Proposta Segunda classificada, da Coba, com a Pondio Enginieros e a Architecture et Ouvrage d’Art Proposta classificada em terceiro lugar, da Betar Consultores Proposta classificada em terceiro lugar, da Betar Consultores Proposta classificada em terceiro lugar, da Betar Consultores Proposta classificada em terceiro lugar, da Betar Consultores Proposta classificada em terceiro lugar, da Betar Consultores Proposta classificada em terceiro lugar, da Betar Consultores Fotogaleria Consórcios liderados por firmas portuguesas ganharam o direito a disputar a próxima fase, para ver qual vai ser o projecto de execução escolhido. 

DR “A FAUP integra não só um conjunto de 18 obras de Álvaro Siza propostas pelo Governo Português para a Lista Indicativa do Património Mundial, como é actualmente objecto de um processo de classificação como Monumento Nacional”. No processo, referem, “destaca-se o elevado valor cultural e paisagístico do conjunto e seu contributo para a qualificação da Paisagem Urbana da cidade do Porto. Defende-se uma Zona Especial de Protecção que salvaguarde as relações do edifício com a envolvente, em especial o conjunto de casas na Travessa da Pena até à Calçada da Boa Viagem que reforçam a relação de escala com a Casa Cor-de-Rosa, e garantem uma unidade de paisagem notável que não deverá ser interrompida”. 

O júri do concurso atribuiu o primeiro lugar ao consórcio liderado por Edgar Cardoso: Laboratório de Estruturas , que propõe uma solução tipo pórtico com escoras inclinadas, com betão como principal material e uma altura superior à da Ponte da Arrábida. Já o segundo lugar foi atribuído a um projecto do consórcio liderado pela COBA, que apresenta uma solução de arco com tabuleiro a nível intermédio, com pilares de betão armado nas encostas. O terceiro lugar foi atribuído ao consórcio liderado pela Betar – Consultores, cujo projecto assenta numa solução de pórtico de pilares inclinados e assimétricos nas margens, com o tabuleiro a ser constituído por aço e betão e os pilares e encontros em betão armado. Com Lusa

 
LINK ORIGINAL: Publico

Entornointeligente.com

Smart Reputation

Boxeo Plus
Boxeo Plus

Smart Reputation

Más en EntornoInteligente.com