PORTUGAL: Dilma forma governo a conta gotas e terá novo mandato mais difícil - EntornoInteligente

Diario Noticias / “É muito difícil” formar governo. “Você não sabe, no Brasil, como é”, lamentou-se Dilma Rousseff à sua congénere argentina Cristina Kirchner na cimeira do Mercosul, segundo relato da Folha de S. Paulo, explicando que a presidente brasileira não sabia que estava ligado o microfone diante de si (ver fotolegenda). O que parece ser verdade, atendendo a que após semanas de contactos ainda só foram anunciados menos de metade – 16 ministros – dos cerca de que vão iniciar com Dilma o seu segundo mandato em Brasília.

A dificuldade essencial de Dilma é a de conjugar os equilíbrios entre os oito partidos da sua base de apoio (PMDB, PSD, PP, PR, Pros, PDT, PCdoB e PRB, além do próprio PT), e exigências específicas de certos estados e formações políticas desses estados. Um dos casos que está a suscitar controvérsia é o facto de um dos estados de maior peso eleitoral, o do Rio de Janeiro, não ter nenhuma figura no novo governo. Embora alguns partidos continuem a fazer pressão, há uma explicação que responde, pelo menos, a uma parte das objeções colocadas: é a de que Dilma teria trabalhado ativamente para que fosse o Rio a ganhar as Olimpíadas de 2016.

Até ao momento, Dilma tem confirmado o nome de 16 ministros, mais o do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, que foi reconduzido, tendo sido escolhido por ela no início do primeiro mandato. Não sendo ministro, o nome do responsável do BC é de nomeação presidencial, após ouvido o Senado.

LEIA MAIS NA EDIÇÃO IMPRESSA OU NO E-PAPER DO DN:

Con Información de Diario Noticias

Add comment

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *