BRASIL: Cabral é condenado pela quarta vez. Penas somam 87 anos - EntornoInteligente

Jornal do Brasil / Nesta terça-feira (19), o ex-governador Sérgio Cabral foi condenado pela quarta vez na Operação Lava Jato, desta vez, no âmbito da operação Eficiência 2. O juiz da 7ª Vara Federal Criminal, Marcelo Bretas, sentenciou a mais 15 anos de prisão. Como Cabral já tinha sido condenado a 72 anos de prisão em três processos, agora, as penas somam 87 anos. O ex-governador ainda pode recorrer.

>>&

O processo trata da movimentação da propina dentro do Brasil por meio dos doleiros Renato e Marcelo Chebar. Os dois eram responsáveis por administrar os recursos arrecadados pelo Cabral no país, sob orientação de Carlos Emanuel Miranda.

A pena foi agravada pelas acusações de que o ex-governador liderava o esquema e de que a prática criminosa envolvia uma organização. No processo, Cabral é acusado de chefiar um esquema que resultou na ocultação e lavagem de quase R$ 40 milhões e mais de US$ 100 milhões no Brasil e no exterior.

Também foram condenados a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo, seu ex-sócio Thiago Aragão, quatro operadores de Cabral, e três doleiros que firmaram delação premiada. O publicitário Francisco de Assis Neto, o Kiko, foi absolvido.

Cabral é condenado pela quarta vez. Penas somam 87 anos Bretas também aceitou nova denúncia contra Cabral, que passa a ser réu em 17 processos. Desta vez, a denúncia envolve o pagamento de R$ 18.117.824,36 de propinas em contratos com a Fundação Departamento de Estradas e Rodagem do Rio (Funderj).

Foram denunciados Sérgio Cabral (corrupção passiva);  Wilson Carlos (corrupção passiva); Henrique Alberto Santos Ribeiro (corrupção passiva, quadrilha e pertinência a organização criminosa); Lineu Castilho Martins (corrupção passiva, quadrilha e pertinência a organização criminosa); e Luiz Carlos Bezerra (corrupção passiva).

BRASIL: Cabral é condenado pela quarta vez. Penas somam 87 anos

Con Información de Jornal do Brasil

www.entornointeligente.com

Síguenos en Twitter @entornoi

Add comment

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *