Instituto defende mais estudos sobre uso medicinal de derivados da Cannabis
 Inicio > Internacionales | Publicado el Viernes, 02 de Diciembre del 2016
Instituto defende mais estudos sobre uso medicinal de derivados da Cannabis


Agencia Brasil /

Remédios à base de Cannabis sativa (maconha) são indicados para o tratamento de pacientes adultos com espasticidade moderada a grave por conta de esclerose múltipla                Divulgação Polícia Federal

Com o processo de regulamentação de medicamentos que têm como princípio ativo substâncias extraídas da, a maconha, será necessário investir em pesquisas científicas no país para aprofundar o conhecimento sobre o tema.

A opinião é do vice-presidente do Instituto Humanitas 360, Piero Bonadeo. A entidade, com sede nos Estados Unidos, tem como uma das áreas de atuação a política de drogas e o uso medicinal da cannabis na América Latina.

No dia 22 de novembro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) incluiu na lista A3 de substâncias psicotrópicas vendidas no Brasil com receita controlada (tarja preta), o tetrahidrocannabinol (THC) em concentração de, no máximo, 30 mg por mililitro e associado ao canabidiol (CBD) também em 30 mg por mililitro.

A medida é o primeiro passo para o registro no país do medicamento Mevatyl , conhecido na Europa como Sativex , feito à base de Cannabis sativa e indicado para o tratamento de pacientes adultos com espasticidade moderada a grave por conta de esclerose múltipla. O uso do THC puro continua proibido, bem como da planta in natura . Bonadeo explica que a medida vai facilitar o acesso para as pessoas que precisam usar esse tipo de remédio.

Pacientes serão beneficiados

"O maior beneficiado será o paciente. Porque vai ser mais fácil e estará mais disponível o remédio no mercado. Vai abrir mais o mercado, outras empresas poderão registrar esse tipo de remédio, ou seja, no futuro haverá mais opções desse tipo de remédio. Acho que vai educar também os médicos, porque é o médico que precisa pesquisar sobre esse remédio, muitos no Brasil ainda não têm formação, não sabem, precisam conhecer mais o uso desse remédio. E vai ajudar, no futuro, talvez a criação de mercado para um produto brasileiro desse tipo de remédio", diz o médico.

Ele afirma que ainda falta conhecimento científico sobre os benefícios medicinais da cannabis . "O THC e o CBD são os dois principais componentes da Cannabis , mas há muitos outros que ainda não se sabe que efeito positivo podem ter para algum tipo de doença. Então isso precisa de muito mais pesquisa científica para desenvolver outros remédios", afirma Bonadeo.

Preconceito em queda

Para ele, desde 2015 o preconceito contra o uso de remédios feitos à base de maconha diminuiu quando a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a importação de produtos feitos com CBD, respondendo demanda de famílias que precisavam do remédio.

"As pessoas começaram a entender um pouco mais. Teve uma grande obra de divulgação desse tema que foi o filme Ilegal , que conta essa história que a gente ajudou na produção. É importante ver que são mães com filhos que têm problemas reais, que não são pessoas que lidam com esse produto porque tem escrito maconha, mas sim para melhorar a vida de crianças. Ver isso no cinema ajudou muitas pessoas a mudar a visão sobre o tema", disse o especialista.

Ele cita experiências vitoriosas de regulamentação do uso medicinal em países como Colômbia, Uruguai e Chile, onde os governos criaram programas de cooperativas para o cultivo. "No Chile tem a maior marijuana farma da América Latina, com uma cooperativa que atende 4 mil pacientes em todo o país, em diferentes províncias do Chile, tudo sob controle do governo", afirma.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) informou que só comentará o assunto depois que a regulamentação do uso associado do THC e do CBD for publicada no Diário Oficial da União, o que não tem previsão para ocorrer, segundo a Anvisa, pois depende da Imprensa Nacional.

Importação

Desde dezembro de 2014, o CFM autorizou o uso compassivo do canabidiol para o "tratamento de epilepsias em crianças e adolescentes que são refratárias aos tratamentos convencionais". Dessa forma, o medicamento ainda sem registro na Anvisa pode ser prescrito para pacientes com doenças graves cujo tratamento dos sintomas não responde a produtos registrados no país.

Na resolução, o CFM destaca que não há comprovação científica dos efeitos benéficos e seguros da substância e que a determinação deveria ser revista dentro de dois anos. Os médicos que prescreverem e os pacientes precisam ser registrados em um sistema do conselho.

Em janeiro de 2015 a Anvisa retirou o canabidiol da lista de substâncias proibidas e autorizou a importação excepcional de uma lista restrita de medicamentos feitos com o CBD. Em março de 2016, foi a vez do tetrahidrocannabinol ser autorizado. No mês passado, a agência reguladora ampliou de quatro para 11 os produtos derivados de canabinóides com importação excepcional por pessoa física. A Anvisa ressalta que "a importação destes produtos pode ser realizada por pacientes com prescrição médica que indique esta opção de tratamento, mediante avaliação e aprovação prévia da Anvisa, caso a caso".

O processo atual não é relacionado à importação, mas sim para permitir a venda do medicamento Mevatyl diretamente no Brasil.

Edição: Kleber Sampaio Instituto defende mais estudos sobre uso medicinal de derivados da Cannabis

Con Información de Agencia Brasil

http://entornointeligente.com/articulo/9336356/Instituto-defende-mais-estudos-sobre-uso-medicinal-de-derivados-da-Cannabis

Síguenos en Twitter @entornoi

Para mas información visite: Mundinews.com


Instagram Mi Refugio online Twitter Mi Refugio Online Facebook Mi Refugio Online Pagina Web Mi Refugio Online Pagina Web Mi Refugio Online Detener Mi Refugio Online

Our service help you to improve your online reputation
http://www.smart-reputation.com





Destacadas

Gonzalo Morales Saren emitirá permisos de viaje en aeropuertos internacionales
Francisco Velasquez Alberto Fujimori fue internado por riesgo de isquemia cerebral
Tomas Elias Gonzalez BRASIL: Governo enviará reforma da Previdência ao Congresso na terça
Francisco Velasquez COLOMBIA: Anuncian cambio de comandante en la Policía Cali y Valle
Francisco Velasquez Conversaciones de urgencia para asegurar el rescate de Monte dei Paschi
Francisco Velasquez Un crítico de cine ciego y una youtuber sorda explican cómo se comunican
Francisco Velasquez 100 Mejores Chefs del Mundo 2017: dos peruanos en la lista
Tomas Elias Gonzalez ¡MAGALLANES SOLO EN EL SÓTANO! Caracas ganó dos de tres en Maracaibo y salió de últimos
Tomas Elias Gonzalez Benitez BRASIL: Volkswagen anuncia recall do Up! por dois problemas distintos

Trinidad Express / Rio 2016 Olympian Dylan Carter is set to be T&T's lone representative when the Biennial FINA World Short Course Championships splash off from today until Sunday in Windsor,...


El Comercio / El capitán Vinicio Luna ya es un hombre libre. El excoordinador de logística de la Federación Ecuatoriana de Fútbol ( FEF ) dejó la Cárcel 4 la noche...


El Comercio de Perú / “Celebro la cantidad de críticas que pueda haber. No he estado mirando el celular, y espero no estarlo mirando muy a menudo. Sin embargo, creo que...


Trinidad Express / This appears to be the hunting season for banks and not without good reason. Michael Harris has now added his eloquent voice to those of Richie Sookhai and...

ATENCIÓN: TODOS LOS CONTENIDOS PUBLICADOS EN ESTE SITE SON PROPIEDAD DE SUS RESPECTIVOS DUEÑOS, ENTORNOINTELIGENTE NO SE HACE RESPONSABLE POR LOS CONTENIDOS DE TERCEROS. CADA NOTICIA ESTÁ ASOCIADA AL MEDIO DE ORIGEN.
LOS AVISOS DE GOOGLE SON PROPIEDAD DE GOOGLE Y EN NINGÚN MOMENTO GUARDAN RELACION CON LA LÍNEA EDITORIAL DEL PORTAL ENTORNOINTELIGENTE.COM