BRASIL: Janot diz que Câmara colocou país em marcha à ré no combate à corrupção
 Inicio > Internacionales | Publicado el Miercoles, 30 de Noviembre del 2016
BRASIL: Janot diz que Câmara colocou país em marcha à ré no combate à corrupção


G1 Globo / “O que havia de melhor no projeto foi excluído, e medidas claramente retaliatórias foram incluídas”, afirmou, acrescentando que uma das mudanças realizadas “objetiva intimidar e enfraquecer Ministério Público e Judiciário”, em referência à emenda de deputados que prevê possibilidade de punição por abuso de autoridade para promotores e juízes.

Entre outras mudanças, Janot também criticou a retirada da criminalização do enriquecimento ilícito, da facilitação para confisco de bens oriundos de corrupção e mudanças na prescrição de crimes.

“As 10 Medidas contra a Corrupção não existem mais. O Ministério Público Brasileiro não apoia o texto que restou, uma pálida sombra das propostas que nos aproximariam de boas práticas mundiais”, escreveu o procurador-geral.

Em vários trechos, Janot também diz que o Ministério Público vai continuar combatendo o crime, apesar de considerar a decisão da Câmara uma “rejeição violenta e irracional” ao trabalho do órgão e do Judiciário.

“Encareço aos membros do Ministério Público Brasileiro que se mantenham concentrados no trabalho de combate à corrupção e ao crime. Que isso não nos desanime; antes, que nos sirva de incentivo ao trabalho correto, profissional e desprovido de ideologias, como tem sido feito desde a Constituição de 1988. Esse ponto de inflexão e tensão institucional será ultrapassado pelo esforço de todos e pelo reconhecimento da sociedade em relação aos resultados alcançados”, diz nota.

saiba mais Cármen Lúcia critica versão aprovada pela Câmara de projeto anticorrupção Câmara retira seis propostas do MPF e desfigura pacote anticorrupção Veja todas as propostas retiradas do pacote anticorrupção pelos deputados Íntegra da nota Leia abaixo a íntegra da nota divulgada pelo procurador-geral da República:

Foram mais de dois milhões de assinaturas. Um apoio maciço da sociedade brasileira, que também por outros meios se manifestou. Houve o apoio de organismos internacionais. Foram centenas de horas de discussão, de esclarecimento e de um debate sadio em prol da democracia brasileira. Foram apresentadas propostas visando a um Brasil melhor para as futuras gerações.

No entanto, isso não foi o suficiente para que os deputados se sensibilizassem da importância das 10 Medidas de Combate à Corrupção. O resultado da votação do PL 4850/2016, ontem, colocou o país em marcha a ré no combate à corrupção. O Plenário da Câmara dos Deputados desperdiçou uma chance histórica de promover um salto qualitativo no processo civilizatório da sociedade brasileira.

A Casa optou por excluir diversos pontos chancelados pela Comissão Especial que analisou as propostas com afinco. Além de retirar a possibilidade de aprimorar o combate à corrupção – como a tipificação do crime de enriquecimento ilícito, mudanças na prescrição de crimes e facilitação do confisco de bens oriundos de corrupção –, houve a inclusão de proposta que coloca em risco o funcionamento do Ministério Público e do Poder Judiciário, a saber, a emenda que sujeita promotores e juízes à punição por crime de responsabilidade.

Ministério Público e Judiciário nem de longe podem ser responsabilizados pela grave crise ética por que passa o país. Encareço aos membros do Ministério Público Brasileiro que se mantenham concentrados no trabalho de combate à corrupção e ao crime. Que isso não nos desanime; antes, que nos sirva de incentivo ao trabalho correto, profissional e desprovido de ideologias, como tem sido feito desde a Constituição de 1988. Esse ponto de inflexão e tensão institucional será ultrapassado pelo esforço de todos e pelo reconhecimento da sociedade em relação aos resultados alcançados.

Um sumário honesto da votação das 10 Medidas, na Câmara dos Deputados, deverá registrar que o que havia de melhor no projeto foi excluído e medidas claramente retaliatórias foram incluídas. Cabe esclarecer que a emenda aprovada, na verdade, objetiva intimidar e enfraquecer Ministério Público e Judiciário.

As 10 Medidas contra a Corrupção não existem mais. O Ministério Público Brasileiro não apoia o texto que restou, uma pálida sombra das propostas que nos aproximariam de boas práticas mundiais. O Ministério Público seguirá sua trajetória de serviço ao povo brasileiro, na perspectiva de luta contra o desvio de dinheiro público e o roubo das esperanças de um país melhor para todos nós.

Nesse debate, longe de qualquer compromisso de luta contra a corrupção, vimos uma rejeição violenta e irracional ao Ministério Público e ao Judiciário. A proposta aprovada na Câmara ainda vai para o Senado. A sociedade deve ficar atenta para que o retrocesso não seja concretizado; para que a marcha seja invertida novamente e possamos andar pra frente.

O conforto está na Constituição, que ainda nos guia e nos aponta o lugar do Brasil. Que seja melhor do que o que vimos hoje.

Rodrigo Janot Procurador-Geral da República Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público

tópicos: Rodrigo Janot veja também Ministro Teori, do STF, arquiva inquérito contra Lobão e Roseana BRASIL: Janot diz que Câmara colocou país em marcha à ré no combate à corrupção

Con Información de G1 Globo

http://entornointeligente.com/articulo/9327696/BRASIL-Janot-diz-que-Cacirc;mara-colocou-paiacute;s-em-marcha-agrave;-reacute;-no-combate-agrave;-corrupccedil;atilde;o

Síguenos en Twitter @entornoi

Para mas información visite: Mundinews.com


Instagram Mi Refugio online Twitter Mi Refugio Online Facebook Mi Refugio Online Pagina Web Mi Refugio Online Pagina Web Mi Refugio Online Detener Mi Refugio Online

Última tecnología en grabado láser para acrílicos madera y MDF
http://artelaser21.com/





Destacadas

Gonzalo Morales PERÚ: Oscar 2017: Twitter de Miss Universo se pronunció tras el error
Gonzalo Morales PERÚ: Oscar 2017: el error que predijo la serie Bojack Horseman
Tomas Gonzalez Con 32 años, Damien Chazelle gana Óscar a mejor director
Francisco Velasquez PERÚ: Oscar 2017: ¿Es la primera vez que la Academia comete un error? [VIDEO]
Francisco Velasquez ECUADOR: 'Moonlight' se lleva el oscar a mejor película, tras error de la Academia
Francisco Velasquez PERÚ: Oscar 2017: John Legend cantó tema de La La Land [VIDEO]
Gonzalo Morales PERÚ: Oscar 2017: el error que empañó la ceremonia en victoria de Moonlight [VIDEO]

Infobae / Tras las disculpas y aclaraciones del papelón histórico, Beatty tuvo que explicar qué sucedió: "agarré el sobre de Mejor Actriz, y decía 'Emma Watson y La La Land', así...


Reuters / SOCHI, Russia Russia has been in talks of buying oil from Iran, Energy Minister Alexander Novak said on Monday, confirming earlier reports. At the sidelines of a economic forum...


El Informador / CIUDAD DE MÉXICO (27/FEB/2017).- El Frente Frío número 31 se extenderá sobre el norte y noreste de México, mientras que otro sistema frontal asociado con aire inestable generará...


Reuters / BERLIN German Chancellor Angela Merkel discussed China's plan to set quotas for the number of electric cars it wants on its roads in the future in a phone call...

ATENCIÓN: TODOS LOS CONTENIDOS PUBLICADOS EN ESTE SITE SON PROPIEDAD DE SUS RESPECTIVOS DUEÑOS, ENTORNOINTELIGENTE NO SE HACE RESPONSABLE POR LOS CONTENIDOS DE TERCEROS. CADA NOTICIA ESTÁ ASOCIADA AL MEDIO DE ORIGEN.
LOS AVISOS DE GOOGLE SON PROPIEDAD DE GOOGLE Y EN NINGÚN MOMENTO GUARDAN RELACION CON LA LÍNEA EDITORIAL DEL PORTAL ENTORNOINTELIGENTE.COM