BRASIL: Análise: Cautela e credibilidade, por Flávia Barbosa
 Inicio > Internacionales | Publicado el Miercoles, 19 de Octubre del 2016
BRASIL: Análise: Cautela e credibilidade, por Flávia Barbosa


OGlobo /

Veja também Mesmo com corte na Selic, Brasil segue com maior juro real do mundo BC reduz juros pela primeira vez em quatro anos, para 14% Para analistas, BC deve iniciar novo ciclo de queda de juros nesta quarta Focus: analistas melhoram previsão para inflação e juros

RIO - A retomada da queda dos juros básicos pelo Banco Central (BC) era amplamente esperada. A dúvida era a magnitude do corte. Ao reduzir a Taxa Selic em 0,25 ponto percentual, deixando guardadinha a opção do 0,5 ponto, a autoridade monetária deixou claro que vai operar com cautela.

São grandes as pressões para que o Comitê de Política Monetária (Copom) embarque num ciclo longo de redução dos juros. A economia emitiu sinais _ como demonstraram os indicadores de indústria, comércio e serviços de agosto _ de que a recessão persistiu no terceiro trimestre e o PIB não está reagindo. Empresários precisam de estímulo adicional para retomarem investimentos, transformando finalmente as positivas expectativas em produção e vendas. A inflação está cedendo. Os preços livres vêm caindo, notadamente os dos alimentos. Nas projeções, o IPCA para 2017 e para 2018 caminham com relativa consistência para o entorno da meta de 4,5%.

No campo fiscal, o governo aprovou em primeiro turno na Câmara, com folga, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, a do teto, que limita o crescimento das despesas à inflação do ano anterior. Ilan Goldfajn preside, porém, uma instituição cujas palavras caíram em descrédito no primeiro mandato de Dilma Rousseff.

A desconfiança em torno do seu trabalho e em relação à disposição do governo de perseguir o equilíbrio das contas públicas implodiu. A diretoria do BC, na sala do Copom, sabe que não basta boa reputação individual para que seu trabalho coletivo surta o efeito esperado, que é ancorar as expectativas de inflação. É preciso que as condições para a queda se apresentem e se confirmem, para que o movimento de flexibilização da política monetária, em consequência, se sustente.

Publicidade

Desta maneira, o BC indicou, em metafóricas letras garrafais, para o que está olhando: os dados. Não haverá voluntarismo para um empurrãozinho na economia, ou uma ajudazinha à dívida pública. Seus movimentos dependerão do Congresso e do setor de serviços. O primeiro deve concluir a votação do ajuste fiscal, o quanto antes. O segundo precisa de uma descompressão maior, após os anos de reajustes superlativos de preços.

Idas e vindas são indesejáveis, e por isso o Copom agiu com prudência. Mesmo deixando aberta a janela para corte de 0,5 ponto em novembro, parece ter adotado como lema o dito "devagar e sempre". Tem nome o jogo do BC: credibilidade.

*Flávia Barbosa é editora de Economia do GLOBO

tyntVariables = {"ap":"Leia mais sobre esse assunto em ", "as": "© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização."}; BRASIL: Análise: Cautela e credibilidade, por Flávia Barbosa

Con Información de OGlobo

http://entornointeligente.com/articulo/9116956/BRASIL-Anaacute;lise-Cautela-e-credibilidade-por-Flaacute;via-Barbosa

Síguenos en Twitter @entornoi

Para mas información visite: Mundinews.com


Instagram Mi Refugio online Twitter Mi Refugio Online Facebook Mi Refugio Online Pagina Web Mi Refugio Online Pagina Web Mi Refugio Online Detener Mi Refugio Online

Desde Smart Reputation podemos ayudarte a limpiar tu nombre en los buscadores
http://www.smart-reputation.com





Destacadas

Gonzalo Morales La nueva obra de Saidel Brito complejiza la caricatura política
Francisco Velasquez Aldosivi necesita romper la racha y sumar en su lucha por no descender
Victor Gill Harold Villarroel compite lesionado por la eliminación
Francisco Javier Velasquez Bruselas y el BCE alertan sobre las cuentas de la Sareb
Tomas Elias Gonzalez Benitez Nueve presos políticos ya tienen más de 100 horas en huelga de hambre

Reuters / VIENNA Russia and Saudi Arabia said they expect OPEC and non-OPEC producers to reach an agreement on Saturday to curtail oil output and prop up prices in the first...


Aporrea / 10 de diciembre de 2016.- En la etapa de transición de gobierno, continúan las controversiales nominaciones al gabinete que acompañará a Donald Trump desde el inicio de su administración....


Reuters / WASHINGTON The U.S. government is slated to sell $375 million worth of crude oil from the country's emergency reserve this winter after Congress passed a temporary spending bill on...


Union Radio / BANGKOK.- Más de 45.000 personas se encuentran sin hogar en la provincia indonesia de Aceh tras el terremoto de magnitud 6,5 que sacudió el miércoles esta región y...

ATENCIÓN: TODOS LOS CONTENIDOS PUBLICADOS EN ESTE SITE SON PROPIEDAD DE SUS RESPECTIVOS DUEÑOS, ENTORNOINTELIGENTE NO SE HACE RESPONSABLE POR LOS CONTENIDOS DE TERCEROS. CADA NOTICIA ESTÁ ASOCIADA AL MEDIO DE ORIGEN.
LOS AVISOS DE GOOGLE SON PROPIEDAD DE GOOGLE Y EN NINGÚN MOMENTO GUARDAN RELACION CON LA LÍNEA EDITORIAL DEL PORTAL ENTORNOINTELIGENTE.COM