Em todo o Brasil, 249 bebês vivem com suas mães em presídios
 Inicio > Internacionales | Publicado el Jueves, 15 de Febrero del 2018
Em todo o Brasil, 249 bebês vivem com suas mães em presídios


OGlobo /

SÃO PAULO - Em todo o Brasil, 249 bebês vivem com suas mães dentro de presídios , segundo levantamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) divulgado em janeiro. Presas , as mães dessas crianças estão em situação semelhante a Jessica Monteiro , de 24 anos, que passou mais de 24 horas dividindo uma cela com seu filho recém-nascido em São Paulo durante o carnaval. Na quarta-feira, ela foi transferida para a Penintenciária Feminina de Santana, também na capital paulista, equipada com berçário.



Veja também Bebê de três dias é mantido preso após mãe parir na cadeia Defensoria envia ao CNJ 2,3 mil cartas de presos com queixas Cármen Lúcia: 'Cidadão está cansado da ineficiência de nós todos, inclusive do Judiciário' Senado aprova projeto que dá prazo para instalar bloqueador de celular em presídios Desde março de 2016, o Código de Processo Penal permite que o juiz substitua a prisão preventiva de mulheres grávidas e com filhos de até 12 por regime domiciliar. Para isso, o magsitrado analisa, entre outros critérios, a conduta da presa, a violência do crime, as condições da família de cuidar da criança enquanto a mãe estiver detida. A defesa de Jessica argumenta que ela é ré primária, e que não cometeu um crime violento — ela foi flagrada quatro porções de maconha escondidas no sutiã, segundo a polícia.

Durante audiência de custódia, o juiz Claudio Salvetti D'Angelo entendeu que a quantidade de drogas apreendida com Jessica e outro homem, que somavam 90 gramas, era muito grande, o que configuraria tráfico. Em seu despacho, escreveu que isso o levava a supor "serem os averiguados portadores de personalidade dotada de acentuada periculosidade".

Publicidade

Quando a Justiça não concede a liberdade à mulher que está amamentando seu filho recém-nascido, o Estado deve garantir a permanência da criança no estabelecimento prisional até, no máximo, um ano e seis meses, de acordo com resolução do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP) de 2009.

Ao todo, 44,7 mil mulheres estão presas no Brasil, cerca de 60% por tráfico de drogas, segundo censo realizado em 2016 pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Como a maior parte da população carcerária feminina está em São Paulo, o estado tem também a maior quantidade de mulheres que amamentam seus filhos na cadeia (96) e que estão grávidas (139). No país todo, 373 grávidas estão em prisão preventiva ou cumprindo pena. Em Minas, a pesquisa do CNJ encontrou 34 lactantes e 22 grávidas. No Rio, são 10 as presas que amamentam seus filhos e 28 as grávidas.

A situação dessas detentas têm sido alvo constante de comentários da ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do CNJ, ministra Cármen Lúcia. Ela já classificou como "inadmissível", disse que é um desrespeito à "Lei do Ventre Livre"

— Não quero que nenhum brasileirinho nasça dentro de uma penitenciária. Isso não é condição precária, é de absoluta indignidade — disse a ministra, em janeiro.

'VIOLAÇÃO DE DIREITOS'

No estudo "Dar à luz na sombra: condições atuais e possibilidades futuras para o exercício da maternidade por mulheres em situação de prisão", as pesquisadoras Ana Gabriela Mendes Braga e Bruna Angotti identificaram que os "espaços específicos para exercício da maternidade são excepcionais" e que, mesmo em unidades modelo, há "falhas estruturais e conjunturais".

Publicidade

Publicado em 2015 pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o relatório aponta como uma das saídas para o problema a conversão das prisões para domiciliar. "Concluímos que uma melhor possibilidade de exercício de maternidade ocorrerá sempre fora da prisão e, se a legislação for cumprida, tanto em relação à excepcionalidade da prisão preventiva como no tangente à aplicação da prisão domiciliar, grande parte dos problemas que afetam a mulher no ambiente prisional estarão resolvidos".

Para o advogado Ariel de Castro Alves, conselheiro do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe), o caso de Jessica é uma violação aos direitos:

— Ela foi presa com pequena quantidade de drogas, é primária, bons antecedentes, tem um filho de 3 anos e o bebê recém nascido. Tem direito a prisão domiciliar e a responder pelo crime em liberdade provisória. São flagrantes violações de direitos humanos.

Em todo o Brasil, 249 bebês vivem com suas mães em presídios

Con Información de OGlobo

http://entornointeligente.com/articulo/3927247/Em-todo-o-Brasil-249-bebecirc;s-vivem-com-suas-matilde;es-em-presiacute;dios

Síguenos en Twitter @entornoi

Para mas información visite: Mundinews.com


www.flashautolease.com the best way to buy or lease a car
http://www.flashautolease.com







Otras noticias de interés
Destacadas

Beca Ing. Sandra Cauffman beneficiará a mujeres interesadas en la ingeniería
EPA invita a participar en su Curso de Construcción
Obra "Asphixia" llega a las tablas para romper con los estereotipos
Más de 600 baruteños participaron en la jornada Baruta Recicla

El Informador / Cansancio, palidez, pérdida de peso, sangrado de nariz o encías, puntos rojos en la piel, dolor de huesos, somnolencia y dolor de cabeza son algunos síntomas de cáncer...


CNN / (CNN) - Cuando Melissa Falkowski escuchó que había un tiroteo en la escuela , su instinto se apoderó de ella. "Me las arreglé para poner a 19 niños...


Mundo Ejecutivo / El presidente de Estados Unidos, Donald Trump, entregó su solicitud presupuestal para el año fiscal 2019, en el cual incluye 79 millones de dólares en ayuda para México...


Mundo Ejecutivo / Mercado Libre anunció la apertura de dos nuevos centros de distribución en el Estado de México, los cuales cuentan con una superficie total de 130 mil metros cuadrados...

ATENCION: TODOS LOS CONTENIDOS PUBLICADOS EN ESTE SITE SON PROPIEDAD DE SUS RESPECTIVOS DUENOS, ENTORNOINTELIGENTE NO SE HACE RESPONSABLE POR LOS CONTENIDOS DE TERCEROS. CADA NOTICIA ESTA ASOCIADA AL MEDIO DE ORIGEN.
LOS AVISOS DE GOOGLE SON PROPIEDAD DE GOOGLE Y EN NINGUN MOMENTO GUARDAN RELACION CON LA LINEA EDITORIAL DEL PORTAL ENTORNOINTELIGENTE.COM