Inicio > Internacionales | Publicado el Domingo, 01 de Diciembre del 2013
Frota de veículos mais que dobra em 10 anos

Frota de veículos mais que dobra em 10 anos

OGlobo / RIO − O despachante Júlio César Rodrigues mora em Teresina (PI) e há quatro anos comprou uma moto com a qual vai para todos os cantos da cidade. Mesmo sem se dar conta, ele ajudou o Brasil a bater um novo recorde: o país chegou a uma frota de mais de 80 milhões de veículos. Carros ainda são maioria, mas as motos, como a comprada por Júlio César, estão entre as maiores responsáveis pelo alcance dessa marca. Junto com os veículos, crescem o tempo gasto no trânsito, a poluição e o número de acidentes, do qual o despachante também já foi vítima.

O Brasil se tornou um país que ganha mais carros e motos do que gente. De acordo com dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), entre setembro de 2003 e o mesmo período deste ano, houve um aumento de 123% na frota do país. Para se ter uma ideia, nesse mesmo espaço de tempo, a população cresceu 11%. Nesses anos usados para a comparação, o Brasil ganhou uma média de 12 mil por dia. Em resumo, é como se todos os moradores de uma única cidade, como Cardoso Moreira, no Norte Fluminense, adquirissem pelo menos um carro ou uma moto diariamente.

− Quem ganha um salário mínimo pode comprar uma motocicleta a prestações. As facilidades hoje são grandes, tanto no grande número de prestações como no consórcio − explica Júlio César, fazendo contas de que uma motocicleta nova custa de R$ 5 mil a R$ 7,5 mil e pode ser comprada em consórcios ou em prestações de R$ 200 a R$ 250 mensais.

Todas as regiões do país mais do que dobraram suas frotas, mas a elevação no índice foi catapultada principalmente por Norte e Nordeste. Nos dois casos, os percentuais de crescimento do número de veículos foram de 235% e 195%, respectivamente. A maior contribuição para que as duas regiões atingissem tamanho percentual veio das motocicletas, o que se refletiu no índice brasileiro.

Mais carros nas mesmas ruas

Professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e especialista em transportes, Gilberto Gonçalves explica que o aumento da frota brasileira é fruto de uma política que incentivou o uso do carro, com facilidades de financiamento e redução de tributos, como o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que deixa de vigorar no fim do ano. Foi a escolha por um transporte individual em detrimento do coletivo. O número de carros e motos, por exemplo, aumentou 125% nesse período. O de ônibus e micro−ônibus, transportes coletivos, 90%.

− Há um incentivo muito grande à aquisição desse tipo de bem (veículos). Mas é inviável o transporte individual para o meio ambiente e para o sistema viário das cidades. Nesse período, o sistema viário não cresceu − explicou o professor.

Dados da Confederação Nacional do Transporte (CNT) mostram que o investimento federal em infraestrutura de transporte, em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), caiu desde a década de 1970, mas voltou a uma tendência de crescimento a partir da década de 2000. Em 2003, 0,07% do PIB era gasto em investimento federal com infraestrutura de transporte, contra 0,29% no ano passado. Em 1976, esse percentual era de 1,84%.

Embora o automóvel ainda seja o veículo mais presente na frota brasileira, as motocicletas e motonetas (como scooters e lambretas) têm papel de destaque: registraram uma elevação de 256% no período analisado. Somente no Maranhão, o número desse tipo de veículo apresentou um aumento de 543% entre setembro de 2003 e o mesmo mês deste ano.

Tamanho aumento de frota tem reflexo no número de mortes em consequência de acidentes de trânsito, conforme O GLOBO constatou, com base em dados do DataSus, sistema de informação do Ministério da Saúde. Em 2011, ano do dado mais recente, 43.256 pessoas perderam a vida em colisões − um aumento de 31 % em relação a 2003. Isso faz do Brasil um dos cinco países onde mais ocorrem acidentes com mortes no trânsito. Os maiores crescimentos estão nas regiões Norte e Nordeste, justamente as duas onde mais houve aumento da frota.

O número de internações por conta das colisões no trânsito também foi às alturas. Entre janeiro e agosto deste ano, 112.264 pessoas foram parar no hospital por conta de acidentes de trânsito, o que significa um crescimento de 55% em relação ao mesmo período de 2003. Novamente, a tendência se seguiu, e os maiores índices ficaram com Norte e Nordeste.

Mas nenhum índice é tão alto quanto os que envolvem os acidentes com motos − incluindo motociclistas e pedestres atropelados por esse tipo de veículo: foram 167% mais mortes e 235% mais internações nesses mesmos períodos. Reflexo de um país onde, em alguns estados, há mais motos do que motoristas com carteira de habilitação para andar nelas.

Formação ineficiente de motoristas

Para Dirceu Rodrigues Alves Júnior, diretor de Comunicação da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), o aumento de mortes e de pessoas internadas em consequência dos acidentes de trânsito se deve a uma junção de fatores. São mais motoristas mal formados percorrendo as vias das cidades e não há punição na mesma medida que as irregularidades acontecem. Segundo ele, a formação dos motoristas, da forma como é hoje, é ineficiente e se baseia somente no que vai cair na prova do Detran. Os condutores não saem preparados para dirigir nas adversidades, como na neblina, por exemplo, além de normalmente não aprenderem direção defensiva.

− Existe uma negligência por parte do governo. Há falta de fiscalização e de punição severa. O motorista não respeita o sinal, para na faixa de pedestre, não usa o cinto, desobedecendo ao que é proposto pelo Código de Trânsito. Tudo isso é somado à má condução, porque os cursos são ineficientes, ensinam o sujeito a andar a 30, 40 km por hora, a subir uma ladeira e não deixar o carro recuar, a fazer baliza. O sujeito faz a prova fazendo essas ações. Fazendo tudo direitinho, o governo autoriza a dar uma arma na mão do sujeito que desconhece todas as adversidades no trânsito. Ele não aprendeu nada, só a fazer o carro a andar − afirmou Dirceu.

Os que mais morrem e mais ficam com sequelas por conta das colisões são pessoas de 18 a 34 anos. Dirceu explica que essa ineficácia do país em relação à violência no trânsito custa caro ao governo, que perde na produtividade e na Previdência Social, com jovens se aposentando por invalidez. Quem entrou para essa dura estatística foi o filho da funcionária pública Guilhermina Mendes e Vales, de 56 anos. Jean Mendes e Vales morreu há seis anos, aos 24 anos, vítima de acidente de motocicleta. Estava sem capacete e sofreu traumatismo cranioencefálico.

− Ele saiu para deixar um amigo e sofreu um acidente. Até hoje, sofro com a mesma intensidade do dia de sua morte − recorda Guilhermina. − Você sabe como são os jovens de hoje. Eles afirmam que vão bem ali, que é rapidinho e não é preciso colocar capacete, não − completou. ( Colaborou Efrém Ribeiro )



Síguenos




TAMBIEN TE PUEDE INTERESAR


ATENCIÓN: TODOS LOS CONTENIDOS PUBLICADOS EN ESTE SITE SON PROPIEDAD DE SUS RESPECTIVOS DUEÑOS. ENTORNO INTELIGENTE NO SE HACE RESPONSABLE POR LOS CONTENIDOS DE TERCEROS. CADA NOTICIA ESTÁ ASOCIADA AL MEDIO DE ORIGEN. LOS AVISOS DE GOOGLE SON PROPIEDAD DE GOOGLE Y EN NINGÚN MOMENTO GUARDAN RELACIÓN CON LA LÍNEA EDITORIAL DEL PORTAL. ENTORNOINTELIGENTE.COM

Para más información sobre este tema, visite
www.mundinews.com
Secciones de www.mundinews.com

Norteamérica Latinoamérica
Europa Asia
Econoía y Negocios Munditecnología
Munditurismo Mundideportes






Entorno Inteligente en Twitter



Alex Cabrera conecta jonrón y Veracruz vence al líder Monclova
Diego Costa y Messi se aproximan a Cristiano Ronaldo
Lauda advierte a Mercedes: "Cuidado, faltan muchas carreras"
Courtois: «Ellos son favoritos, pero el Barça también lo era»
Los seguidores del Chelsea y el Bayern dejarán en Madrid 1,6 millones de euros
Una gripe impide entrenarse a Bale
Courtois, el hombre tranquilo
"No he competido todo lo bien que me hubiera gustado"
Sin cambios el top ten femenino por la disputa de la Copa Federación
Nadal aumenta su ventaja sobre Djokovic



Warner Jiménez: Conciencia ciudadana garantizó éxito del asueto religioso en Maturín

ENTORNOINTELIGENTE.COM / Sin saldos negativos que lamentar culminó el operativo Semana Santa 2014 en todo el municipio Maturín de acuerdo al balance oficial ofrecido por el cuentadante capitalino, Warner Jiménez, quien visitó el balneario de Mapirito para exponer los detalles de la movilización durante estos días Santos. El gerente capitalino realizó un recorrido por los diferentes puntos de control a las entradas y salidas del municipio y destacó que durante el asueto se logró disminuir varios índices. "Hasta éste día, no tenemos víctimas que lamentar en todo el municipio, salvo algunos hechos menores cotidianos producto de la alta movilización, pero en resumidas cuentas podemos decir que todo ha transcurrido en sana paz. Hemos visto que la conciencia ciudadana ha permitido el éxito de este operativo. Este año ha sido especial, porque la aplicación de la ley seca también nos ayudó a la disminución de los índices de accidentes dentro del municipio Capital". La primera autoridad local agradeció el esfuerzo de hombres y mujeres durante esta semana pasada, especialmente a los Bombeos y Policía municipal, toda vez que su presencia promovió la responsabilidad en propios y extraños. "Estamos satisfechos con el trabajo desplegado desde éste ayuntamiento; lo que nos lleva a culminarlo con cifras alentadoras, previendo que todos los ciudadanos regresen sanos y salvo a sus hogares. Son casi 400 funcionarios entre Bomberos, Policías y miembros de Protección Civil, que se han desplegados, no solo en los balnearios, sino en las Iglesias y en el terminal terrestre; nos mantendremos alertas hasta que todos estén en sus hogares" Durante su recorrido por el balneario de Mapirito, al sur del municipio Maturín, Jiménez, destacó que la presencia policial permitió la disminución de los índices delictivos, salvo los hechos aislados ocurridos en el sector de Danilo Anderson y la Invasión de la Puente donde resultaron asesinadas dos personas, lo cual se presume hayan ocurrido por ajuste de cuentas. No se reportaron robos y en cuanto a los accidentes viales, explicó Jiménez, que sólo ocurrieron algunos menores que fueron atendidos por los cuerpos de rescate y seguridad. Operativo se extenderá hasta el miércoles En torno a la movilización por el terminal de pasajeros, el Alcalde explicó que a la fecha se había unas 40 mil personas habían usado las instalaciones para trasladarse a diferentes sitios fuera y dentro del estado. En este sentido, debido a la alta demanda, se habilitaron unas mil unidades de pasajeros. Al respecto, el presidente del Terminal de Pasajeros Roger Días, aseguró que las instalaciones están abarrotadas, por lo que mantendrá el operativo Semana Santa 2014 hasta el próximo miércoles, permitiendo el control de las unidades que se movilizan. Tomando en consideración estas cifras de movilización, el alcalde Jiménez indicó que buscarán cotizaciones para la implementación de medidores de velocidad en las principales vías de entrada y salida del municipio, lo que garantizará el cumplimiento de las leyes de Tránsito Terrestre.

Con Información de ENTORNOINTELIGENTE.COM

www.entornointeligente.com

Visite tambien www.mundinews.com | www.eldiscoduro.com | www.tipsfemeninos.com | www.economima-venezuela.com | www.politica-venezuela.com | www.enlasgradas.com | www.cualquiervaina.com | www.espiasdecocina.com | www.videojuegosmania.com

Síguenos en Twitter @entornoi

Ampliar Contenido