Caimaneras Coca−Cola recorrerán Venezuela

ENTORNOINTELIGENTE.COM / Consolidando su compromiso con la formación deportiva y la promoción de un estilo de vida saludable, arranca en Venezuela, por sexto año consecutivo, el programa Caimaneras Coca−Cola 2014, integrado por Clínicas de Béisbol y Fútbol para niños y adolescentes. Una vez más, Coca−Cola Servicios de Venezuela y Coca−Cola FEMSA de Venezuela apuestan a este proyecto que contará para este año con la ejecución de 80 Clínicas, que beneficiarán a unos 12 mil niños; como parte de su plataforma de Responsabilidad Social Empresarial. Este año, las Caimaneras Coca−Cola estarán presentes en 6 regiones de país: Carabobo, Zulia, Anzoátegui, Lara, Bolívar y Distrito Capital. Desde cada estado, entrenadores dictarán 40 Clínicas de béisbol y 40 de fútbol –por separado−, completamente gratuitas para niños entre 7 y 16 años, en estadios públicos de sectores populares que serán acondicionados para la actividad. Cada Clínica Deportiva tendrá cupo para 120 niños aproximadamente y una duración de 4 horas. El equipo de instructores para las 40 Clínicas de Béisbol está liderado por el ex jugador profesional para los Tiburones de la Guaira y las Águilas del Zulia, Alexis Corro, un reconocido deportista y entrenador, de muy amplia trayectoria. Corro, luego de haber jugado para los Atléticos de Oakland a mediados de los setenta, ha venido desarrollándose como entrenador de categoría triple A en diversas organizaciones públicas y privadas, nacional e internacionalmente. Lo acompaña un destacado grupo de beisbolistas, como son: Luis Ramos, quien jugó para los Tiburones de la Guaira, Ronny Bonabente, Jhonny Martínez y José Ramírez, ex jugadores de los Tigres de Aragua, Kelvin Andrade ex jugador de los Cardenales de Lara y Víctor Julio Corro, que ha sido Instructor de escuelas menores de la Guaira. Por otra parte, las Clínicas de Fútbol, que se estrenaron el pasado año con gran éxito, contarán en la edición 2014 con Dani de Oliveira como Instructor Nacional, quien es el único venezolano con la categoría Instructor de la FIFA. Además, De Oliveira ha sido Caza Talentos de la Copa Coca−Cola 2013 y 2014; y ex Director del Deportivo Petare FC (equipo de la 1era división de Venezuela). Estará acompañado de un talentoso grupo de instructores con experiencia en Clínicas de Fútbol que impartirán a los niños y jóvenes las técnicas, prácticas y conocimientos básicos de esta disciplina. Walewska Miguel, Gerente de Asuntos Públicos y Comunicaciones de Coca−Cola Servicios de Venezuela explica el alcance de la plataforma de RSE. "Ya cumplimos 6 años de éxitos con nuestro programa bandera Caimaneras Coca−Cola, con un firme compromiso: promover un estilo de vida saludable y fomentar la educación deportiva de nuestras comunidades. Ha sido un trabajo muy gratificante, pues cada año alcanzamos un mayor número de beneficiarios que abarcan no sólo a niños y jóvenes, sino a sus familias. En 2014 venimos repotenciados con la ejecución de 80 Clínicas de Béisbol y Fútbol, y muchas novedades. Esperamos superar nuestras metas, incorporando cada día más comunidades a lo largo de nuestro territorio", concluyó. Embajadores en el campo de Fútbol En las Caimaneras Coca−Cola de Fútbol se ha incorporado, para esta edición, un gran atractivo para los participantes. Un grupo de embajadores –destacados jugadores locales− visitarán algunas de las Clínicas, departiendo con los muchachos y promoviendo sus conocimientos de fútbol profesional. Además, firmarán autógrafos y estarán disponibles para fotografías con los asistentes. Algunos de los embajadores de este año serán: En Bolívar: Richard Blanco; Lara: Miguel Mea Vitali; Carabobo: Leopoldo Jiménez; Caracas: Ricardo Andreutti; Dtto Capital: Javier González y Zulia: Dustin Valdez. En la caimanera que se realizará en La Dolorita el próximo miércoles 6 de Agosto, el embajador por Coca−Cola será Daniel Febles, quien con apenas 23 años es ya el actual delantero de Atlético Venezuela y Campeón de la Copa Venezuela 2014, con el Caracas Fútbol Club. Febles, además, ha tenido cuatro participaciones en la Copa Libertadores y perteneció a la Vinotinto en las categorías menores, con un par de convocatorias a la selección absoluta. Es hijo del fallecido Pedro Febles, una leyenda del fútbol venezolano. Como complemento, tal como se realizó también en 2013, en las Caimaneras Coca−Cola de este año se ofrecerán charlas dinámicas de nutrición y vida saludable para los padres, representantes y acompañantes de los jóvenes participantes, dictadas por nutricionistas, con recomendaciones de alimentación y medición de índices de masa corporal. Coca−Cola Servicios de Venezuela y Coca−Cola FEMSA de Venezuela, realizan por sexto año consecutivo un aporte a la promoción del deporte en Venezuela, a través de las Clínicas de Béisbol y Fútbol Caimaneras Coca−Cola. Este es un programa con tradición venezolana que se integra a la Plataforma de Responsabilidad Social Empresarial de la empresa, cuyo norte es el desarrollo de un estilo de vida activo y saludable para las personas, las comunidades y la sociedad.

Con Información de ENTORNOINTELIGENTE.COM

www.entornointeligente.com

Visite tambien www.mundinews.com | www.eldiscoduro.com | www.tipsfemeninos.com | www.economima-venezuela.com | www.politica-venezuela.com | www.enlasgradas.com | www.cualquiervaina.com | www.espiasdecocina.com | www.videojuegosmania.com

Síguenos en Twitter @entornoi

Ampliar Contenido




ADVERTENCIA: Los anuncios publicitarios del programa Google Adsense han sido deshabilitados en esta noticia por poseer contenido considerado como NO APTO PARA MENORES

 Inicio > Internacionales | Publicado el Domingo, 01 de Diciembre del 2013
Frota de veículos mais que dobra em 10 anos

OGlobo / RIO − O despachante Júlio César Rodrigues mora em Teresina (PI) e há quatro anos comprou uma moto com a qual vai para todos os cantos da cidade. Mesmo sem se dar conta, ele ajudou o Brasil a bater um novo recorde: o país chegou a uma frota de mais de 80 milhões de veículos. Carros ainda são maioria, mas as motos, como a comprada por Júlio César, estão entre as maiores responsáveis pelo alcance dessa marca. Junto com os veículos, crescem o tempo gasto no trânsito, a poluição e o número de acidentes, do qual o despachante também já foi vítima.

O Brasil se tornou um país que ganha mais carros e motos do que gente. De acordo com dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), entre setembro de 2003 e o mesmo período deste ano, houve um aumento de 123% na frota do país. Para se ter uma ideia, nesse mesmo espaço de tempo, a população cresceu 11%. Nesses anos usados para a comparação, o Brasil ganhou uma média de 12 mil por dia. Em resumo, é como se todos os moradores de uma única cidade, como Cardoso Moreira, no Norte Fluminense, adquirissem pelo menos um carro ou uma moto diariamente.

− Quem ganha um salário mínimo pode comprar uma motocicleta a prestações. As facilidades hoje são grandes, tanto no grande número de prestações como no consórcio − explica Júlio César, fazendo contas de que uma motocicleta nova custa de R$ 5 mil a R$ 7,5 mil e pode ser comprada em consórcios ou em prestações de R$ 200 a R$ 250 mensais.

Todas as regiões do país mais do que dobraram suas frotas, mas a elevação no índice foi catapultada principalmente por Norte e Nordeste. Nos dois casos, os percentuais de crescimento do número de veículos foram de 235% e 195%, respectivamente. A maior contribuição para que as duas regiões atingissem tamanho percentual veio das motocicletas, o que se refletiu no índice brasileiro.

Mais carros nas mesmas ruas

Professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e especialista em transportes, Gilberto Gonçalves explica que o aumento da frota brasileira é fruto de uma política que incentivou o uso do carro, com facilidades de financiamento e redução de tributos, como o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que deixa de vigorar no fim do ano. Foi a escolha por um transporte individual em detrimento do coletivo. O número de carros e motos, por exemplo, aumentou 125% nesse período. O de ônibus e micro−ônibus, transportes coletivos, 90%.

− Há um incentivo muito grande à aquisição desse tipo de bem (veículos). Mas é inviável o transporte individual para o meio ambiente e para o sistema viário das cidades. Nesse período, o sistema viário não cresceu − explicou o professor.

Dados da Confederação Nacional do Transporte (CNT) mostram que o investimento federal em infraestrutura de transporte, em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), caiu desde a década de 1970, mas voltou a uma tendência de crescimento a partir da década de 2000. Em 2003, 0,07% do PIB era gasto em investimento federal com infraestrutura de transporte, contra 0,29% no ano passado. Em 1976, esse percentual era de 1,84%.

Embora o automóvel ainda seja o veículo mais presente na frota brasileira, as motocicletas e motonetas (como scooters e lambretas) têm papel de destaque: registraram uma elevação de 256% no período analisado. Somente no Maranhão, o número desse tipo de veículo apresentou um aumento de 543% entre setembro de 2003 e o mesmo mês deste ano.

Tamanho aumento de frota tem reflexo no número de mortes em consequência de acidentes de trânsito, conforme O GLOBO constatou, com base em dados do DataSus, sistema de informação do Ministério da Saúde. Em 2011, ano do dado mais recente, 43.256 pessoas perderam a vida em colisões − um aumento de 31 % em relação a 2003. Isso faz do Brasil um dos cinco países onde mais ocorrem acidentes com mortes no trânsito. Os maiores crescimentos estão nas regiões Norte e Nordeste, justamente as duas onde mais houve aumento da frota.

O número de internações por conta das colisões no trânsito também foi às alturas. Entre janeiro e agosto deste ano, 112.264 pessoas foram parar no hospital por conta de acidentes de trânsito, o que significa um crescimento de 55% em relação ao mesmo período de 2003. Novamente, a tendência se seguiu, e os maiores índices ficaram com Norte e Nordeste.

Mas nenhum índice é tão alto quanto os que envolvem os acidentes com motos − incluindo motociclistas e pedestres atropelados por esse tipo de veículo: foram 167% mais mortes e 235% mais internações nesses mesmos períodos. Reflexo de um país onde, em alguns estados, há mais motos do que motoristas com carteira de habilitação para andar nelas.

Formação ineficiente de motoristas

Para Dirceu Rodrigues Alves Júnior, diretor de Comunicação da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), o aumento de mortes e de pessoas internadas em consequência dos acidentes de trânsito se deve a uma junção de fatores. São mais motoristas mal formados percorrendo as vias das cidades e não há punição na mesma medida que as irregularidades acontecem. Segundo ele, a formação dos motoristas, da forma como é hoje, é ineficiente e se baseia somente no que vai cair na prova do Detran. Os condutores não saem preparados para dirigir nas adversidades, como na neblina, por exemplo, além de normalmente não aprenderem direção defensiva.

− Existe uma negligência por parte do governo. Há falta de fiscalização e de punição severa. O motorista não respeita o sinal, para na faixa de pedestre, não usa o cinto, desobedecendo ao que é proposto pelo Código de Trânsito. Tudo isso é somado à má condução, porque os cursos são ineficientes, ensinam o sujeito a andar a 30, 40 km por hora, a subir uma ladeira e não deixar o carro recuar, a fazer baliza. O sujeito faz a prova fazendo essas ações. Fazendo tudo direitinho, o governo autoriza a dar uma arma na mão do sujeito que desconhece todas as adversidades no trânsito. Ele não aprendeu nada, só a fazer o carro a andar − afirmou Dirceu.

Os que mais morrem e mais ficam com sequelas por conta das colisões são pessoas de 18 a 34 anos. Dirceu explica que essa ineficácia do país em relação à violência no trânsito custa caro ao governo, que perde na produtividade e na Previdência Social, com jovens se aposentando por invalidez. Quem entrou para essa dura estatística foi o filho da funcionária pública Guilhermina Mendes e Vales, de 56 anos. Jean Mendes e Vales morreu há seis anos, aos 24 anos, vítima de acidente de motocicleta. Estava sem capacete e sofreu traumatismo cranioencefálico.

− Ele saiu para deixar um amigo e sofreu um acidente. Até hoje, sofro com a mesma intensidade do dia de sua morte − recorda Guilhermina. − Você sabe como são os jovens de hoje. Eles afirmam que vão bem ali, que é rapidinho e não é preciso colocar capacete, não − completou. ( Colaborou Efrém Ribeiro )


SÍGUENOS
Mas noticias en EntornoInteligente.com
http://eldiscoduro.com
(Ads By Web24)

Descubre cómo hacer dinero con tus posts
http://www.clippingdigital.com
(Ads By Web24)

Tenemos la herramienta para capturar todas las noticias
tipsfemeninos.com
(Ads By Web24)

La mayoría de los alimentos no es conveniente comerlos diariamente porque...
TAMBIEN TE PUEDE INTERESAR

¿Quieres conocer al rey japonés de las flatulencias? /NOTICIERO CUALQUIERVAINA 06-06-2014

¡INCREÍBLE! Hombre se fugó de la cárcel disfrazado de sillón (Noticiero CualquierVaina 07-05-2014)

Niño de 8 años se casa con mujer de 61/ NOTICIERO CUALQUIERVAINA 04-07-2014