Inicio > Internacionales | Publicado el Domingo, 10 de Noviembre del 2013
Ação de revisão do FGTS vale a pena?

Ação de revisão do FGTS vale a pena?

Correio Popular / Começam a chover no Judiciário ações revisionais pedindo a correção do saldo das contas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) que sofreram reajuste pela Taxa Referencial (TR) no período de 1999 em diante e não alcançaram a variação da inflação anual, ficando defasadas. Segundo a advogada Sinara Cristina da Costa da Consultoria dos Direitos ao Consumidor (CDC), a partir de 1999, a TR começou a ser reduzida gradativamente pelo governo federal, até que em setembro de 2012 chegou a zero. "O dinheiro do trabalhador que estava no FGTS ficou sem correção", alerta. A defasagem do saldo do FGTS levou a Central Força Sindical e várias entidades filiadas a ela a ingressarem na Justiça com ações de cobrança da correção das contas. "A garfada na correção do Fundo, dependendo dos anos da conta, pode chegar a uma diferença de 88,3%", aponta a advogada. De acordo com Sinara, a medida judicial que pleiteia a correção dos saldos vinculados à conta do FGTS tornou−se pública no final de maio deste ano. Segundo ela, ficou ainda mais concreta a tese a partir do posicionamento adotado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ao mencionar em sua decisão que a Taxa Referencial (TR) não serve como índice de correção monetária, dando ainda mais força ao trabalhador para ir até a Justiça pleitear seus direitos. "Somente por meio de uma medida judicial é que o trabalhador receberá a diferença e terá o saldo atualizado daqui pra frente pelo índice que realmente reflete a inflação do País", explica a advogada. Até o momento, a profissional do Direito e sua sócia já ingressaram com mais de 300 ações, com os mais diversos índices de reajuste — 8%, 10%, 12%, 20%, 15% e 35% — que variam conforme o histórico do trabalhador nas empresas onde trabalhou ou ainda trabalha. Se um trabalhador que tinha R$ 5 mil na conta vinculada do FGTS em 1999, tem atualmente R$ 6.702,35. Os cálculos elaborados da maneira correta apontam que este trabalhador deveria ter na sua conta vinculada um saldo de R$ 12.932,20, uma diferença de R$ 6.229,85 que não foi repassada para a sua conta. Por serem ações recentes, até o momento nenhuma delas foi concluída. "Com base em um posicionamento do STF, acredito que o índice de êxito será de 100%", aposta a advogada. Embora seja difícil precisar o tempo de tramitação das ações, Sinara acredita que leve em torno de um a dois anos. Sinara ressalta que a TR não é um indicador econômico e, sendo assim, não acompanha a inflação e não representa uma taxa de rentabilidade do mercado financeiro. A advogada também informa que somente com a atualização monetária do FGTS pela TR a partir de 2003 até julho de 2009, período em que rendeu menos que o IPCA, todos os trabalhadores tiveram uma perda acumulada de R$ 52 bilhões. Segundo ela, o critério de atualização monetária adotado fere a própria lei do FGTS (Lei 8.036/90), uma vez que não vem preservando o poder aquisitivo dos depósitos, em comparação com outros índices, em especial o IPCA, índice oficial do governo que mede a inflação. As advogadas Sinara Cristina da Costa e Paula Sá Carnaúba Reis A advogada Paula Sá Carnaúba Reis da Consultoria dos Direitos ao Consumidor (CDC) também informa que somente com a atualização monetária do FGTS pela TR a partir de 2003 até julho de 2009, período em que rendeu menos que o IPCA, todos os trabalhadores tiveram uma perda acumulada de R$ 52 bilhões em seus saldos do Fundo Prejuízo Outro prejuízo ao trabalhador é que as perdas refletem diretamente no cálculo da multa rescisória de 40% sobre o FGTS, caso seja dispensado sem justa causa, o que significa que os trabalhadores demitidos nos últimos seis anos, de dezembro de 2002 até junho de 2009 deixaram de receber R$ 13 bilhões . A assessoria de imprensa da Caixa Regional Campinas, em nota, informou que sobre a utilização do índice TR na atualização das contas FGTS, a Caixa Econômica Federal tem cumprido integralmente o que determina a legislação. Portanto, aplica o parâmetro de atualização legalmente definido para todas as contas, estabelecido no Art. 13 da Lei 8.036/90 no Art. 13: " Os depósitos efetuados nas contas vinculadas serão corrigidos monetariamente com base nos parâmetros fixados para atualização dos saldos dos depósitos de poupança e capitalização juros de (três) por cento ao ano…". A Caixa ressalta que a eventual substituição do índice legalmente praticado na atualização das contas vinculadas do Fundo tem caráter vinculativo. Ou seja, também será alterado para os mutuários que tenham financiamento com recursos do FGTS. De acordo com o art. 9, inciso II, da lei 8.036/90, a substituição da TR por outro índice levará automaticamente à atribuição destes mesmos índices aos contratos firmados pelo FGTS, gerando impacto diretamente para as condições contratuais do financiado final da moradia, o mutuário do Sistema Financeiro da Habitação (SFH). A Caixa reforça que o uso da Taxa de Referência (TR) se vale de dado divulgado pela autoridade monetária, ou seja, pelo Banco Central do Brasil. Desta forma, o banco vem conseguindo, na Justiça, ganho de mérito em todas as ações já julgadas que versam sobre o tema em questão. Legitimidade "É uma ação legítima, mas não é uma ação fácil", afirma André Luiz Paes de Almeida ( foto ), professor de Direito do Trabalho e Direito Processual do Trabalho da rede LFG. E o argumento de defesa da Caixa Econômica Federal pode ser minimamente legalista, atendendo o que especifica a lei 8.036/90, que determina a TR como taxa de reajuste e que só poderia ser mudada com a criação de uma nova lei para esse propósito. Na opinião do docente da LFG, o Legislativo, ao perceber a absurda animosidade dos trabalhadores, deve se pronunciar a respeito. Inúmeras ações são ajuizados pedindo correções mais viáveis para o FGTS e, na opinião de Almeida, não é de "bom tom"esperar para propor uma ação revisional. "Quanto mais ações, maior é a pressão sobre o Supremo Tribunal Federal. E logo o Tribunal terá de verificar se há uma pretensão legítima nas ações", acredita o docente. Quando há várias ações no mesmo sentido, uma julgada já cria jurisprudência. Sobre outro assunto relacionado à TR o STF já destacou que a taxa não acompanha o poder de compra. Contudo, a atualização do saldo do FGTS não ocorrerá automaticamente e mesmo que as ações sejam julgadas improcedentes, o Tribunal será pressionado a cobrar do Legislativo uma proposta para outra taxa de correção. "A possibilidade é grande para que o Tribunal se movimente sobre o tema", acredita o docente. Por enquanto, nenhuma ação chegou ao STF, que não deverá se pronunciar sobre o assunto em um prazo inferior a um ano. 



Síguenos


TAMBIEN TE PUEDE INTERESAR


ATENCIÓN: TODOS LOS CONTENIDOS PUBLICADOS EN ESTE SITE SON PROPIEDAD DE SUS RESPECTIVOS DUEÑOS. ENTORNO INTELIGENTE NO SE HACE RESPONSABLE POR LOS CONTENIDOS DE TERCEROS. CADA NOTICIA ESTÁ ASOCIADA AL MEDIO DE ORIGEN. LOS AVISOS DE GOOGLE SON PROPIEDAD DE GOOGLE Y EN NINGÚN MOMENTO GUARDAN RELACIÓN CON LA LÍNEA EDITORIAL DEL PORTAL. ENTORNOINTELIGENTE.COM

Para más información sobre este tema, visite
www.mundinews.com
Secciones de www.mundinews.com

Norteamérica Latinoamérica
Europa Asia
Econoía y Negocios Munditecnología
Munditurismo Mundideportes






Entorno Inteligente en Twitter



Los tres tigres blancos recién nacidos en el Zoo porteño
Por qué a ellas les gustan los tipos raros (¡y los barbudos!)
Deja morir de hambre a su hijo para poder jugar a la videoconsola
Clonan una cabra que da leche especial para combatir enfermedad rara
Conozca la ciudad que dedica su tiempo al cuidado de su mascota
10 Ideas para celebrar tu aniversario
Norcorea e Inglaterra, enfrentadas por un corte de pelo
Adolescente termina detenida tras broma terrorista en Twitter
Alemania: destruyen tazas con el rostro de Hitler importadas por error
El restaurante más caro del mundo estará en Ibiza: 1.500 euros por persona



Luis Martell: "Tenemos que seguir trabajando duro"

ENTORNOINTELIGENTE.COM / Una vez más, Luis Martell se convirtió en pieza clave del combinado Sub 20 del Deportivo La Guaira, que el pasado domingo venció 3−1 al Monagas SC y clasificó a cuartos de final, gracias al atino del artillero violeta, quien cerraría la jornada con doblete. "El 3−1 fue un corto resultado, ya que tuvimos más ocasiones para marcar. Al final no se nos dieron, pero se nos dieron los tres goles que nos clasifican a la siguiente ronda",indicaría Luis Martell, quiensigue destacando en el plano ofensivo. Con un global de 5−3, La Guaira alcanzaría su boleta a la siguiente ronda, luego de disputar una dura llave. "Ante Monagas tuvimos mucha actitud, ya que peleábamos cada balón hasta el final. Gracias a Dios se nos dio el resultado", apuntaría el delantero violeta. El choque de vuelta significó una revancha personal para Luis Martell, quien no tuvo fortuna de cara al arco en la ida, a diferencia de este encuentro donde destacaría con doblete. "El profe (Jobanny Rivero) me dijo que hiciera lo que sabía hacer, que jugará a mi fútbol. Séque no me fue muy bien en el partido de ida, pero tenía una revancha y la supe aprovechar". Ahora los violetas se alistan para encarar los cuartos de final, donde se verán las caras con el Aragua FC, rival que ya enfrentaría en la fase de grupo."Tenemos que seguir trabajando duro y tener en cuenta que Aragua es un equipo muy bueno", cerraría Luis Martell.

Con Información de ENTORNOINTELIGENTE.COM

www.entornointeligente.com

Visite tambien www.mundinews.com | www.eldiscoduro.com | www.tipsfemeninos.com | www.economima-venezuela.com | www.politica-venezuela.com | www.enlasgradas.com | www.cualquiervaina.com | www.espiasdecocina.com | www.videojuegosmania.com

Síguenos en Twitter @entornoi

Ampliar Contenido